Rica Perrone: “#RespeitaMinhaDoença”

Rica Perrone: “#RespeitaMinhaDoença”

Oi, novo Maracanã.

Eu sei que parecemos íntimos, mas não éramos. Na verdade estamos sendo apresentados hoje completamente.  Até aqui mandei diversas vezes parte de mim pra te ver. Hoje vim completo.

Hoje não tive que escolher entre quem pode e não pode pagar. Hoje eu só tive um critério: ser um de nós.

E se fosse, podendo, viria. Não porque algo os atraia, mas porque estarmos juntos de novo aqui nos causa algo que só o ex-você mesmo saberia te explicar.

Viemos pela festa que não nos deixam mais fazer. Pelo ingresso que podemos pagar e não pelo espetáculo que nem aconteceu.

Viemos dizer que amamos o nosso clube bem alto pra ele ouvir e saber, amanhã, quando em silêncio jogar, que ainda assim tem por quem correr.

Você nem se parece com você mesmo. Eu ainda posso voltar, mesmo que em dias de treino onde seus valores não me enfraqueçam.  Mas você, Maracanã, era tão mais bonito e imponente…

Tá chique. É verdade. Roupa nova, cabelo liso, mas… sei lá.  Eu gostava mais de ti antes.

Bom, vou indo. Foi bom “rever” você, se é que você ainda é o mesmo.  Eu sou! Não tenho vindo porque não posso, mas quando posso, tô aqui dividindo o transito entre o carro importado e o ônibus lotado que vem lá da baixada.

Porque aqui costumávamos ser um só. Antes de você mudar, diga-se.

Prazer,

Nação rubro-negra.

Reprodução: Rica Perrone