Roberto Assaf: “Palmeiras joga para reforçar teses estúpidas”

Roberto Assaf: “Palmeiras joga para reforçar teses estúpidas”

O Palmeiras sofreu apenas três derrotas no Allianz Parque na temporada de 2018. Duas no Paulistão, ambas por 1 a 0, para São Caetano e Corinthians, e outra no Brasileiro, 3 a 2 para o Sport. A queda diante do grande rival custou o título estadual. E foram nove vitórias e quatro empates. Logo, deixou de ganhar sete dos 16 jogos que disputou em casa. Isso sugere que é possível sair do Allianz com um resultado positivo.

É claro que o Flamengo adotará postura mais cautelosa na partida de hoje. Vale ver o teipe do clássico entre Palmeiras e São Paulo, no último dia 2, para que se observe como NÃO se deve comportar por lá.

O time tricolor começou rasgando, fez 1 a 0 com 30 minutos, e terminou o primeiro tempo em vantagem, com a certeza de que deveria continuar atacando despreocupadamente, após o intervalo. Pois a equipe verde voltou disposta a reagir, pressionando o adversário, enfiou três gols em 20 minutos, e só não ampliou por puro preciosismo.

O que se quer dizer aqui é que o Palmeiras não é um troço qualquer. Julgá-lo derrotado antes do fim é um equívoco. Mostrar receio diante de sua força também. E abrir mão de atacá-lo pode ser fatal. Assim, é necessário encontrar um equilíbrio para enfrentá-lo.

É importante lembrar ainda que o estádio estará lotado, pois o time paulista quer provar que é superior, e a sua torcida muito mais, com a certeza de que uma vitória reforçará duas teses estúpidas que estão na ordem do dia, a de que a tabela do Brasileiro foi confeccionada para o Flamengo, como se não jogassem todos contra todos, e a de que o Rubro-Negro ainda só duelou com adversários frágeis, como se Internacional, Vasco, Atlético Mineiro, Corinthians e Fluminense fossem pequenos.

O recorde de público no Allianz, em 2018, é de 37.867 espectadores, na vitória de 2 x 1 sobre o Santos, em 2 de fevereiro, pelo Paulistão. Pois é. Se o Flamengo já enfrentou o Palmeiras em seu estádio com esquadrões, também já o fez com times pavorosos, infinitamente inferiores ao atual, o que deixa a Nação com esperanças para o jogão.

O Palmeiras em 2018

# Vitórias no Allianz

– 3 x 1 Santo André / SP – Campeonato Paulista (18/1)

– 2 x 1 Red Bull / SP – Campeonato Paulista (25/1)

– 2 x 1 Santos / SP – Campeonato Paulista (4/2)

– 2 x 0 São Paulo / SP – Campeonato Paulista (8/3)

– 5 x 0 Novorizontino / SP – Campeonato Paulista (21/3)

– 2 x 0 Alianza Lima / Peru – Copa Libertadores (3/4)

– 3 x 1 Junior Barranquilla / Colômbia – Copa Libertadores (16/5)

– 3 x 0 Bahia / BA – Campeonato Brasileiro (19/5)

– 3 x 1 São Paulo / SP – Campeonato Brasileiro (2/6)

# Empates no Allianz

– 2 x 2 Linense / SP – Campeonato Paulista (15/2)

– 1 x 1 Boca Juniors / Argentina – Copa Libertadores (11/4)

– 0 x 0 Chapecoense / SC – Campeonato Brasileiro (30/4)

– 1 x 1 América / MG – Campeonato Brasileiro (23/5)

# Derrotas no Allianz

– 0 x 1 São Caetano / SP – Campeonato Paulista (5/3)

– 0 x 1 Corinthians / SP – Campeonato Paulista (8/4)

– 2 x 3 Sport / PE – Campeonato Brasileiro (26/5)

# Total

– Jogos: 16

– Vitórias: 9

– Empates: 4

– Derrotas: 3

– Gols pró: 31

– Gols contra: 14

Reprodução: Roberto Assaf | Rua Paysandu