| Futebol

Rueda fala sobre a final da Copa do Brasil: "Encarar esses jogos com responsabilidade e intensidade"

Comandante rubro-negro projeta primeiro duelo diante do Cruzeiro

flameng - Rueda fala sobre a final da Copa do Brasil: "Encarar esses jogos com responsabilidade e intensidade"

Foto: Gilvan de Souza

Após o último trabalho em campo antes da grande final da Copa do Brasil, que consistiu em uma atividade tática no Ninho do Urubu, o técnico Reinaldo Rueda concedeu entrevista coletiva na Sala de Imprensa Victorino Chermont. Com a certeza de um Maracanã e performances intensas de ambas as equipes, o técnico comentou sobre a primeira partida contra o Cruzeiro. 

Sócio-torcedor tem mais Flamengo em vídeos da FlaTV Nação Rubro-Negra, com entrevistas exclusivas dos jogadores! Clique e sinta o orgulho de ser sócio-torcedor.

Demonstrando conhecimento acerca do estilo de jogo e das qualidades do adversário, o treinador analisou a equipe mineira. "O Cruzeiro tem um grupo muito bem estruturado, com jogadores experientes e alguns jovens. É um time que busca jogar futebol sempre, muito agressivo, que pressiona bastante. É uma equipe com boa disposição em campo, muito compacta. Tem jogadores de muita qualidade que atuam muito bem tanto com passes curtos, quanto nos contra-ataques. Uma equipe que tem conceitos muito bons, muita qualidade e que é muito bem trabalhada", disse.

Apesar de recém-chegado, sua confiança no grupo é evidente, principalmente tendo em vista a mistura de jogadores experientes com jovens talentosos. Para dois confrontos que envolvem sentimentos e exigências tão extremas, Rueda transmitiu a costumeira serenidade atrás dos microfones ao falar da expectativa acerca do componente mental de seus comandados em campo.

"São jogos muito intensos, de 180 minutos. Penso que todos os jogadores do Flamengo estão acostumados e preparados para poderem encarar esses jogos com responsabilidade e intensidade. São partidas importantíssimas para que eles possam fazer a diferença, conscientes de que à frente teremos um adversário muito maduro, difícil, bem estruturado e que sabe jogar um bom futebol. Temos conversado sobre essas situações e creio que estejam preparados", afirmou o colombiano.

Essas características também são fundamentais para o desenvolvimento em campo do plano de jogo trabalhado durante os últimos dias. "Penso que precisamos fazer um jogo inteligente, com muita organização e um altíssimo nível de agressividade. Sabemos que não podemos deixar o Cruzeiro pensar o jogo, pois o fazem com muita qualidade. Precisamos fazer um bom diagnóstico, reconhecer as situações do jogo e agir tanto para jogar com cautela na criação das jogadas, quanto para pressionar quando não temos a bola", completou.

Os atletas permanecerão concentrados no Ninho do Urubu até seguirem para o Maracanã, palco do confronto dessa quinta-feira. A primeira partida da decisão terá bola rolando a partir das 21:45h.

Confira outros trechos da entrevista de Reinaldo Rueda: 

Ausências no ataque
Não está sendo fácil com Vizeu machucado e a ausência do Paolo. Fizemos dois ou três treinamentos buscando soluções e vimos quem deu a melhor resposta. Conversamos com os jogadores durante os trabalhos no campo e creio que teremos duas possibilidades muito próximas, que fecharemos hoje. A escalação ainda será definida para amanhã.

Características de Vinicius Jr. e Paquetá
Vinicius é um jogador que, em sua formação, fez muito gols e teve um bom comportamento atuando como um centroavante, mas agora está atuando nas pontas, com uma troca de perfil que também o fortalece por sua potência. Paquetá, contra o Atlético-GO, foi mais um volante misto, com características muito especiais como sua inteligência de jogo e a forma que sabe jogar internamente, com agressividade e força no jogo aéreo. São muito diferentes, mas os dois têm essa vocação ofensiva e potência física, também pela juventude. Esperamos que no momento que tiverem a oportunidade, a aproveitem para o bem da equipe.

Chegar à final da Copa do Brail
Penso que é um grande privilégio. Me sinto assim por chegar com um clube grande. O professor Zé Ricardo teve um longo caminho com o Flamengo para chegarmos até aqui. Fez um grande trabalho com a estruturação da equipe. Agora estamos em uma final. A equipe lutou, mereceu e quer disputá-la. Como corpo técnico, nos sentimos privilegiados por participar de um torneio tão importante e histórico para o futebol brasileiro.

Ansiedade para a partida
Todos os jogos têm um nível de tensão. A concentração é difícil às vezes, porque hoje estamos analisando a situação dos rivais, situações internas. Creio que é a exigência dessa profissão, da responsabilidade como treinador. Mas vou tratar de superá-la e liberá-la durante o jogo.

Pontos positivos e negativos da adaptação
A grande dificuldade é com o calendário de jogos. Desde nossa chegada, tivemos que enfrentar o Botafogo em um jogo difícil pela Copa do Brasil, depois uma partida pelo Brasileirão, e por fim o Botafogo pela semifinal. Na primeira semana fizemos um diagnóstico e recebemos muitas informações de todos os departamentos do clube. A facilidade foi a organização do flamengo. Infraestrutura, logística, disponibilidade e a receptividade da equipe para o trabalho. A alegria e a disposição com a qual fazem o trabalho. São dois extremos, muito intensos também com a parte burocrática. 

Expectativa da torcida
É uma situação de todos os times grandes. Todos têm que corresponder a esse torcedor. Eles são emoção, coração e paixão, então os jogadores precisam se blindar para que esse estímulo sirva a nosso favor. Precisamos atuar com muita intensidade para não perdermos o controle do jogo, para que o adversário não se fortaleça. Mas é fácil falar, dentro do campo é preciso controlar a emoção.

Retorno de Cuéllar
Tivemos esse apoio da CBF para que ele voltasse com a Seleção Brasileira e pudesse estar rápido aqui conosco. Fizemos a avaliação. Do ponto de vista médico, ele não participou de nenhum dos dois jogos e veremos a evolução para sabermos se poderemos contar com ele amanhã.

Possibilidade de ser o primeiro campeão estrangeiro
Seria uma grande satisfação. É isso que significa estar no Flamengo. É uma grande instituição, um prêmio que recebi da vida. Mas temos primeiro que jogar. Sabemos que são 180 minutos difícieis. Antes de pensar individualmente, temos que pensar no conjunto, na importância dessa conquista para o Flamengo. É um trabalho que tem sido feito no Flamengo há vários anos, então é importante também o reconhecimento para o trabalho anterior, e vamos melhorando para alcançarmos as exigências da instituição, dos torcedores e dos torneios.

Duas semanas à frente da equipe
Penso que o profissionalismo do grupo. A maturidade dos jogadores foi muito importante. Temos muitas lideranças na equipe em jogadores importantes e de grande trajetória. A receptividade dos jovens, a alegria e disposição mental para os treinamentos. Nós, como corpo técnico, tivemos uma dinâmica desde, por exemplo, os tempos de Atlético Nacional. Tivemos que jogar muitas competições com distâncias longas. Foi um grande aprendizado o que vivemos lá e que nos facilitou a nos adaptar ao que acontece no Flamengo.

Berrío no comando de ataque
Também pensamos nessa situação. Com o Berrío, no Atlético Nacional, em um ou dois jogos ele atuou como centroavante. Tem a força e a potência. Tanto iniciando assim como pelas consequências do jogo. Estamos todos juntos para fazermos um bom jogo.

Fonte: http://www.flamengo.com.br/site/noticia/detalhe/25952/rueda-fala-sobre-a-final-da-copa-do-brasil-encarar-esses-jogos-com-responsabilidade-e-intensidade

Comentar pelo Facebook

Leia também


Comentar pelo Site

Nenhum Comentário
Seja o primeiro a comentar essa notícia.