Saiba por que Fleitas Solich era chamado de Feiticeiro

Fleitas Solich, El Brujo

Fleitas Solich, El Brujo

O Feiticeiro. El Brujo. Dois apelidos para o mesmo homem: Manuel Agustín Fleitas Solich. O paraguaio, tão importante para a história do Flamengo, responsável por lançar Zico nos profissionais, merece a lembrança neste 31 de janeiro, o Dia do Mágico.

Tirar coelhos da cartola, fazer coisas desaparecerem. São atribuições comuns aos ilusionistas. Mas a façanha que rendeu a Fleitas Solich seu apelido era outra: a adivinhação. Seu conhecimento sobre o futebol era tanto que ganhou fama entre os jogadores. O que ele dissesse, antes de uma partida, que ia acontecer, acontecia.

O paraguaio de Assunção é o segundo técnico que mais comandou o Flamengo. Foi responsável por lançar, nos anos 50, nomes como Evaristo de Macedo, Zagallo e Dida. Em outra década, já em 1971, deu oportunidades no time principal a um jovem de 17 anos: Zico. Treinou a seleção paraguaia campeã da Copa América de 53 e revolucionou o futebol brasileiro ao adotar o esquema 4-2-4 no rubro-negro carioca. Foi com esta tática que a seleção brasileira encarou e venceu a Copa de 1958.

O porquê da data
O dia 31 de janeiro é também a data da morte de São João Bosco, que, segundo a história, era mágico, e foi escolhido para ser o padroeiro desses profissionais.