• BICAMPEÃO DA LIBERTADORES
  • HEPTACAMPEÃO BRASILEIRO

Secretário-geral da CBF afirma que o Flamengo escolheu “caminho inadequado” em jogo contra o Palmeiras

O jogo do Flamengo contra o Palmeiras deu o que falar. Depois de toda discussão judicial envolvendo a partida, a bola rolou no Allianz Parque e terminou com um empate por 1 a 1. No entanto, caso não tivesse acontecido, a disputa poderia ter causado a paralisação do Campeonato Brasileiro, como afirmou o secretário-geral da CBF, Walter Feldman, em entrevista ao Estadão. Além disso, falou que a partida só foi para os tribunais por ‘rejeição do protocolo’ por parte do Flamengo.

 —Os clubes teriam suas razões para reagir. A decisão da Justiça (de confirmar o jogo) foi fundamental para não acontecer algo mais dramático. (…) O que deu errado foi a rejeição do Flamengo em relação ao cumprimento do protocolo estabelecido e uniforme para todos os clubes, de que 13 jogadores é número suficiente.”

A briga judicial envolveu o Superior Tribunal da Justiça Desportiva (STJD), o Tribunal Superior do Trabalho (TST), o Tribunal Regional do Trabalho, o Sindeclubes, o Flamengo e a CBF. O Fla, que não queria que o jogo fosse realizado, perdeu e a decisão final foi tomada pelo TST para que a partida acontecesse, ou seja, à favor da CBF e do Palmeiras. Porém, o secretário-geral da confederação foi contra o caminho que o Flamengo seguiu durante a disputa:

—É um caminho inadequado. Está muito estabelecido que as decisões esportivas devem permanecer no campo das instâncias desportivas. Não havia conflito em termos de uniformidade, de imparcialidade, de tratamento igualitário para todos os clubes. Não havia por que acionar (a Justiça), é uma prática não recomendada, passível de punição. Evidentemente não foram os agentes do futebol, foram os sindicatos representativos, mas é um caminho inadequado, que causa um desajuste, como efetivamente aconteceu.

Ao ser perguntado sobre uma possível reincidência de casos como o do Flamengo e Palmeiras, Feldman afirma que não devem surgir, já que mesmo depois de tantos ‘problemas, traumas e indefinições’, a partida ocorreu e o caso “será exemplo para que novos episódios não aconteçam.”

Publicado em colunadofla.com.