Punido por uso de substâncias ilícitas, Paolo Guerrero teve de passar seis longos meses afastados dos gramados. Apesar deste período estar próximo do fim, as dúvidas ainda cercam o futuro profissional do atleta.

Seu prosseguimento na Gávea, enquanto atleta do Flamengo, está cada vez mais incerto. As negociações para a renovação do atacante estão estagnadas, uma vez que clube e atleta não chegaram, inicialmente, à um acordo. De acordo o ​Lance!, o centroavante pede dois anos de contrato (até 2020) e a manutenção do salário de R$ 500 mil, fora luvas. 

Por outro lado, a cúpula rubro-negra quer uma renovação curta, de apenas uma temporada. Além disso, um novo grande investimento em luvas está fora de cogitação, tendo em vista que o clube ainda paga ao peruano o acordo firmado em 2015 (R$ 12 milhões em luvas). Nos bastidores, o Fla já não enxerga Guerrero como 'essencial' e vê com bons olhos a possibilidade de investir em outro atacante, mais jovem.

Por agora, as conversas entre representantes do peruano e dirigentes do Fla estão suspensas e serão retomadas somente após o julgamento do atleta na Suíça. É bastante provável que Guerrero seja absolvido e possa retornar aos gramados já no próximo dia 3.

​​

​​