Sem plano B, Fla reafirma perfil, mas condiciona permanência de Barbieri a resultados

Sem plano B, Fla reafirma perfil, mas condiciona permanência de Barbieri a resultados

O Flamengo está convencido que deve ter um técnico com o estilo de Mauricio Barbieri, mas condiciona a permanência no interino no comando aos resultados e desempenho da equipe nos próximos jogos.

Embora haja convicção sobre o perfil, pesam contra o técnico de 37 anos a inexperiência em grandes clubes e a pouca vivência no trato com jogadores no vestiário. Como publicado no início do mês, a direção busca um coordenador técnico para essa função.

Além dos resultados, a sequência de Barbieri pode ser interrompida a qualquer momento se o Flamengo encontrar um treinador com perfil semelhante disponível. A cúpula do futebol entende que as opções livres não valem a investida.

"A questão é se alguém está disponível", diz uma fonte do Flamengo.

Nos corredores da Gávea, sabe-se do interesse de nomes consagrados como Cuca e até Vanderlei Luxemburgo em um retorno. Por parte da direção, nomes até agora descartados.

Outra dificuldade além do perfil do treinador é o prazo do trabalho. Os dirigentes entendem que, apesar do interesse de vários técnicos em comandar o Flamengo, os meses até a eleição no fim do ano são um tempo curto para desenvolver alguma coisa do início.

Por isso, a manutenção de Barbieri tem como intenção evitar um trauma maior até que ele seja realmente necessário. Vale lembrar que já houve uma ruputa com a demissão de Carpegiani e do diretor Rodrigo Caetano, mas até agoras os métodos de trabalho no dia a dia foram mantidos.

Nenhum dirigente do Flamengo no momento banca qualquer passo adiante e espera uma resposta dos jogadores em campo. Por enquanto o time dá respaldo ao interino e vê Barbieri com bons conceitos no dia a dia. Nos jogos, por outro lado, é que não se vê evolução.

O Flamengo enfrenta o Ceará no domingo, pelo Brasileiro. O campeonato vai ser o vestibular de Barbieri. Na Copa do Brasil, os jogos contra a Ponte PReta pelas oitavas de final serão dia 2 em Campinas e no dia 10 no Maracanã. Na Libertadores, o time volta a campo dia 16 de maio contra o Emelec, no Maracanã. Talvez a prova final para que a diretoria enfim saia do muro.