| Futebol

Sem preferência por rival, Neto alerta para perigo na decisão em jogo único

Técnico do Flamengo elogia jogo coletivo e marcação agressiva do Paulistano e destaca experiência e individualidade nos momentos chave dos atletas de São José

No dia seguinte à final do NBB, com o título nas mãos ou não, o técnico José Neto terá um sério problema para começar a resolver. Após o fim da competição nacional, apenas Marcelinho, Marquinhos e Cristiano Felício ainda terão contrato com o Flamengo, a pouco mais de três meses da decisão do Mundial interclubes, contra o Maccabi Tel Aviv, no Rio de Janeiro. Mas enquanto o dia 1º de junho não chega, o técnico rubro-negro só tem rugas para o adversário do clube da Gávea na Arena da Barra, dia 31 de maio. Sem preferência por São José ou Paulistano, que decidem a última vaga nesta sexta-feira, às 21h, na capital paulista, o comandante do atual campeão brasileiro e da Liga das Américas tem uma única preocupação, independentemente de quem levar a melhor na outra semifinal. 

- São José e Paulistano são duas grandes equipes, fizeram campanhas maravilhosas e merecem estar na decisão. Sinceramente, não tenho preferência por nenhum dos dois times, quem passar  será um adversário muito complicado e difícil de bater. Independentemente do vencedor, um fator muito importante que temos de estar atentos é que a final será disputada em jogo único, o que iguala ainda mais as equipes e torna a partida mais perigosa - afirmou Neto.

benite treino com bola basquete flamengo (Foto: Marcello Pires)José Neto comanda treino do Flamengo, visando à final do NBB (Foto: Marcello Pires)


Apesar de ter o mesmo respeito por ambos os rivais, o técnico rubro-negro não vê tantas semelhanças entre eles. Enquanto o time da capital paulista chama atenção pelo jogo coletivo e uma marcação agressiva, a equipe de São José dos Campos conta com jogadores mais individualistas e mais acostumados a momentos decisivos.

- O Paulistano tem um elenco que permite uma rotação maior e é um time mais consistente. Apesar de não contar com nenhuma grande estrela, é uma equipe que marca muito forte e tem um conjunto que sobressai. Eles não dependem apenas de um jogador para decidir, todos são importantes. A equipe de São José tem um grupo mais experiente e conta com jogadores mais acostumados a momentos decisivos - analisou.

Apesar de Luiz Augusto Zanon saber que não poderá contar com o pivô Caio Torres caso São José vença o quinto jogo e se classifique à final, o técnico José Neto não encara o desfalque de seu ex-jogador com uma grande vantagem.

- São José jogou a quarta partida sem o Caio e com o Manny Quezada no sacrifício e fez uma partidaça. Mesmo sem uma rotação muito grande, eles sabem explorar a individualidade de seus principais jogadores e venceram por quase 30 prontos de diferença. O Ed Nelson é um jogador experiente, acostumado a decisões e nos preocupa da mesma maneira - explicou o treinador rubro-negro.

   



Comentar pelo Facebook

Leia também


Comentar pelo Site

Nenhum Comentário
Seja o primeiro a comentar essa notícia.