| Futebol

Sem torcida, Marcelinho faz barulho, Fla bate o Vasco e sai na frente na final

Rubro-Negro derruba maior rival em jogo nervoso e marcado por apoio apenas dos bancos. Veterano chama a responsabilidade e leva time à vantagem na decisão

flameng - Sem torcida, Marcelinho faz barulho, Fla bate o Vasco e sai na frente na final

O silêncio na pequena arquibancada pareceu falar mais alto do que qualquer torcida. Em uma noite de final, os portões fechados levaram um clima estranho à quadra do ginásio Hélio Maurício, na Gávea. Na volta do clássico a uma decisão de campeonato, a ausência do público tirou boa parte do brilho da festa. Quando a bola subiu, porém, não faltou vontade. Em um jogo muito brigado, o Flamengo soube crescer no fim. Com autoridade, contou com um Marcelinho de mão certeira para bater o Vasco por 89 a 87 (44 a 45). O triunfo deixa o Rubro-Negro a uma vitória para conquistar o título do Campeonato Carioca pela 13ª vez seguida.

Marcelinho foi o nome do jogo. Muito bem no segundo tempo, o veterano guiou o time da casa à vitória com 32 pontos. Do outro lado, Murilo foi o maior destaque, com 24, mas não conseguiu impedir a derrota vascaína na decisão.

O anúncio oficial de que o jogo seria na Gávea foi feito às 19h13, a menos de duas horas da partida. O Flamengo aguardava o julgamento do recurso para tentar ter sua torcida e, assim, mudaria a partida para o Tijuca. A decisão saiu tarde demais, e, apesar da vontade da diretoria, o jogo foi mantido na sede do Rubro-Negro. Caso haja a necessidade da terceira partida, o clube terá direito a torcida na próxima sexta. A confusão, no entanto, promete seguir para o duelo de quarta-feira. Marcado para 21h, o jogo ainda não tem local definido. Se vencer, o conquista o título.



JP Batista, com bela infiltração, abriu a contagem. Murilo respondeu, em gancho chorado no garrafão rubro-negro. Os bancos tentavam suprir a ausência das torcidas, gritando incentivos a todo instante. Em quadra, porém, a correria era maior do que a precisão. Os dois lados erravam passes, marcações e arremessos. O Vasco tomou a frente do placar, primeiro com David Jackson, depois com Murilo. O Flamengo, no entanto, impedia que o rival abrisse vantagem.

Nezinho vacilou, perdeu a bola, e Ronald Ramón aproveitou para deixar tudo igual no placar (10 a 10). Hélio respondeu na sequência com uma bola de três, abrindo para o Vasco. O Flamengo chegou a buscar, mas Murilo fez o Vasco abrir quatro de vantagem. Marcelinho, de três, recolocou o time da casa no jogo, logo antes de Marquinhos fazer quatro pontos seguidos e virar o jogo (20 a 17). A pouco mais de um minuto para o fim, Hélio deixou tudo igual, em nova cesta de três. Nezinho também acertou a mão e levou os visitantes à dianteira. Marcelinho ainda conseguiu diminuir a diferença, mas o Vasco fechou o primeiro quarto à frente: 25 a 23.

Murilo, melhor do Vasco àquela altura, ampliou a vantagem no início do segundo quarto. Mas o Flamengo foi buscar. Marquinhos, de três, levou o time da casa de volta à dianteira. Era um jogo equilibrado, porém. O banco do Rubro-Negro ficou todo de pé após bola de três de Ronald Ramón. O Vasco, então, parou. Passou a errar tudo lá na frente e viu o rival abrir seis pontos, maior diferença até então: 39 a 33. Christiano parou o jogo e tentou arrumar a casa. Incomodado com os erros nos arremessos de três e com a falta de poder de seu time no garrafão, mandou o experiente Wagner à quadra.

Com Gaúcho e Drudi, o Vasco melhorou e encostou no placar, fazendo a diferença cair para apenas dois pontos (43 a 41). Foi a vez de Neto, então, parar o jogo. Não adiantou. Gaúcho conseguiu boa infiltração, marcou os dois pontos e sofreu a falta, forçando novo pedido de tempo do técnico rubro-negro, a 13 segundos do fim. O jogador vascaíno converteu o ponto extra, abrindo 45 a 43. Os visitantes forçaram falta no ataque, e Mineiro acertou apenas um de seus lances livres. O Vasco ainda teve a chance de ampliar a vantagem, mas Hélio desperdiçou o último ataque: 45 a 44 no fim do primeiro tempo.

Olivinha abriu a contagem no terceiro quarto, e o Vasco respondeu com Murilo. O Rubro-Negro melhorou na marcação e passou a dificultar a vida do rival no ataque. Ainda assim, David Jackson conseguiu infiltrar e marcar dois pontos. O Flamengo encaixou três bons ataques em sequência e fez a vantagem subir para sete pontos (56 a 49). O Vasco foi buscar. Gaúcho, no lance livre, fez o time ficar a um ponto do empate. 

Nezinho, depois de sofrer falta do jovem Heitor, desperdiçou um lance livre, mas acertou o outro e deixou tudo igual: 60 a 60. Marcelinho ainda marcou mais um ponto, também em lance livre, mas a equipe de São Januário voltou à frente no placar com uma cesta de três de Palacios. O jogo esquentou. No último ataque do período, Marcelinho reclamou de cotovelada de Gaúcho ao sofrer falta, a um segundo do fim. O veterano teve direito a quatro lances livres. Errou um, mas levou o time da Gávea ao empate em 64 a 64.

Logo na volta à quadra, o Flamengo levou um susto. Ao virar o corpo, Marquinhos escorregou sozinho, esticou as pernas e ficou caído no chão, reclamando de dores na coxa esquerda. O ala saiu de quadra, e o Vasco marcou de três, com Jackson. Marcelinho, porém, respondeu à altura logo na sequência. Marquinhos voltou logo depois, para alívio de Neto.

O Flamengo voltou a dominar. Marcelinho, de três, fez o Flamengo saltar à frente. Murilo, na sequência, cometeu falta no ataque e desperdiçou a bola para o Vasco. O time rubro-negro abriu cinco pontos, mas os rivais voltaram a buscar. Murilo sofreu falta, marcou os dois pontos e aproveitou o lance extra, deixando tudo igual (76 a 76).

A pouco mais de um minuto para o fim, o Flamengo perdeu a bola no ataque, David Jackson sofreu a falta e converteu seus dois lances livres para levar o Vasco à frente. Marcelinho, porém, respondeu de bate-pronto: marcou de três pontos e sofreu a falta, fazendo o Fla chegar a 84 a 82. O veterano acertou mais dois lances livres, e o Rubro-Negro tinha quatro pontos de vantagem a 30 segundos do fim.

O Vasco brigou. Conseguiu tirar a diferença e ficou a um ponto do empate depois de dois lances livres de Nezinho, em lance de muita reclamação do Flamengo, que acusara um golpe de Drudi em Ronald Ramón. Marcelinho, porém, marcou em lance livre a seis segundos do fim. Nezinho ainda arriscou de três, mas não deu. Vitória rubro-negra por 89 a 87.





Fonte: http://globoesporte.globo.com/basquete/noticia/2016/10/sem-torcida-marcelinho-faz-barulho-fla-bate-o-vasco-e-sai-na-frente-na-final.html

Comentar pelo Facebook

Leia também


Comentar pelo Site

Nenhum Comentário
Seja o primeiro a comentar essa notícia.