"Como aconteceu em todos os outros clubes, cheguei abraçando a ideia. O projeto era maravilhoso, ganancioso, busca de títulos... com o Muricy. O Muricy saiu, por conta de um problema de saúde, assumiu outro treinador (Zé Ricardo), a mentalidade mudou, tive alguns problemas. Treinei por seis meses e joguei pouco. Não compartilho do que foi feito comigo. Ainda assim, saio pela porta que entrei, da frente", disse o camisa 11, em entrevista à Rádio FM O Dia.

Com a saída confirmada da Gávea, Sheik pensa no futuro. Especulado em clubes como Atlético-PR e Santos, o experiente atacante desconversou e disse que vai pensar com calma em cada proposta que venha a receber.

"São duas lindas cidades, mas quando se trata de trabalho a gente não escolhe muito. Tem que ver as oportunidades. Quero ver o projeto de cada clube. Ouvi dizer que tem o Santos, o Atlético, tem outros clubes envolvidos também", concluiu.

​​

​​