Sorteio de mando revolta o Flamengo e coloca final em Cariacica

Sorteio de mando revolta o Flamengo e coloca final em Cariacica

Melhor campanha do Campeonato Carioca até aqui, com cinco vitórias e um empate e apenas um gol sofrido. Mesmo assim, o Flamengo não teve a chance de ter o mando de campo na final da Taça Guanabara, diante do Boavista, fato que irritou a diretoria rubro-negra. A Federação do Rio sorteou quem teria o direito de escolha e o clube de Bacaxá acabou ficando com decisão. Desta maneira, o Fla que está acostumado a jogar no Kleber de Andrade, em Cariacica, vai para o Espírito Santo contrariado, pela primeira vez.

Com o sorteio feito, o Boavista refutou prontamente a ideia de jogar no Raulino de Oliveira. A justificativa era que o estádio seria prejuízo técnico e financeiro para sua equipe. Porém, o estádio em Volta Redonda estava entre um dos pré-aprovados pela Federação para sediar jogos decisivos - os outros dois são o Nilton Santos e o Maracanã. ambos vetados - e estava nos planos do rubro-negro jogar lá. A negativa do "mandante" Boavista, foi um balde de água fria nas pretensões do Flamengo.

Em motivos de logística, a ida para o Espírito Santo não altera em nada a programação rubro-negra. O treinamento acontecerá normalmente no sábado, pela manhã, no Ninho do Urubu e depois a delegação viajará para Vitória, capital capixaba, que fica próxima de Cariacica. Porém, não era o estádio que estava nos planos.

Para ter a escolha de um dos estádios pré-aprovados pela Ferj, em especial em outro estado, é preciso da anuência dos dois clubes envolvidos, além da própria Federação. Mesmo contrariado e sem opções, o Flamengo topou a proposta do time de Bacaxá e aceitou. Mesmo assim, a direção espera mudanças e que não haja mais esse tipo de sorteio, já que o Rubro-Negro tem a melhor campanha de todo o Carioca.

O estádio Mané Garrincha entrou em pauta, mas foi refutado pelo próprio Flamengo. No entender da comissão, a viagem para a capital brasileira seria muito desgastante e o Fla está em reta final de preparação para a estreia na Copa Libertadores, diante do River Plate, da Argentina, no próximo dia 28 de fevereiro, na Ilha do Urubu.

O confronto do domingo, na decisão, será o último grande teste da equipe principal rubro-negra. Depois disso, a equipe encara o Madureira, na estreia da Taça Rio, no dia 21, e o clássico com o Fluminense, no dia 25. Nestas duas partidas, Paulo César Carpegiani deve fazer testes no elenco. Entre eles, a provável estreia de Júlio César, em seu retorno ao clube.

Diante do Fluminense, Diego Alves pode ser a novidade. Outra questão que Carpegiani ainda não resolveu é o substituto de Cuéllar na Copa Libertadores, suspenso por dois jogos. Por enquanto, o colombiano segue como titular até o clássico com o Tricolor.