Substituto de Réver, Rhodolfo afirma: 'Meu entrosamento com Juan é bom'

Substituto de Réver, Rhodolfo afirma: 'Meu entrosamento com Juan é bom'

Com um edema ósseo na perna direita, o capitão Réver desfalcará o Flamengo diante do Emelec, em Guayaquil, nesta quarta-feira. O técnico Carpegiani, no entanto, não tem problemas para formar o "miolo de zaga" com Rhodolfo e Juan, atletas experientes e acostumados a grandes jogos pelo Rubro-Negro.

Além disso, o camisa 3 garantiu que o entrosamento com Juan está em dia e o pensamento do time é conquistar os três pontos no Estádio George Campwell.

- Venho jogando bem nas partidas, meu entrosamento com o Juan é bom.É um jogo importante e fora de casa. Temos que ir pensando em vencer - afirmou.

Dos seis jogos em que Rhodolfo foi titular em 2018, dois foram ao lado de Juan, que só entrou em campo quatro vezes na temporada. Os zagueiros, por outro lado, já se conhecem da última temporada e dos treinos no Ninho do Urubu.

Em 13 partidas no ano, o Fla sofreu oito gols e marcou 20. Em nove delas, a defesa não foi vazada. Neste caso, todas válidas pelo Campeonato Estadual.

'Conversei com o Réver durante a semana e ele estava reclamando de dores. Ele é muito importante para o grupo, nosso capitão', lamentou Rhodolfo.

Para Rhodolfo, a evolução defensiva passa pela chegada de Carpegiani ao comando técnico do Rubro-Negro. Mesmo assim, o camisa 3 ainda vê espaço para crescimento do time.

- Desde quando ele chegou nosso time evoluiu bastante, falando pelo sistema defensivo. A equipe que vem jogando tomou poucos gols. Estamos atuando de forma consistente. O time está no caminho certo e estamos pegando aos pouco o que professor quer.

Com os empates na primeira rodada da fase de grupos - 2 a 2 entre Flamengo e River Plate (ARG), no Rio de Janeiro, e 1 a 1 entre Santa Fe (COL) e Emelec (EQU) -, em Bogotá, o Grupo 4 da Copa Libertadores está todo empatado.

Confira outras respostas do zagueiro Rhodolfo:

1. Como você viu a última campanha do Flamengo na Libertadores?

Acompanhei alguns jogos do Flamengo. Não conseguiu ganhar fora de casa e nessa competição não se pode perder. Se não der para vencer, às vezes o empate é um bom resultado. Sabemos o quão difícil é uma competição como a Libertadores, mas o Flamengo vai a todos os lugares pensando sempre em vencer.

2. A ausência da torcida pesou muito na estreia?


Infelizmente sofremos o empate em casa, mas sentimos falta do nosso torcedor. Já joguei muitas vezes contra o Flamengo e eles fazem a diferença. É estranho jogar sem torcida, sem a diferença que ela faz. Amanhã faremos alguns ajustes com o professor e ele também nos passará mais informações sobre o adversário.

3. Carpegiani disse, recentemente, que há uma pressão exagerada sobre o time. Você concorda?


Jogar no Flamengo tem uma pressão diferente de outros times que já atuei. É uma torcida apaixonada, a maior torcida do Brasil, então é normal essa cobrança. Quero ser campeão aqui, ainda mais da Libertadores, que é uma competição muito importante. Nosso foco tem que ser pensar na vitória e em nossa evolução para, lá na frente, colhermos os frutos.

4. Já estudaram a equipe do Emelec?


Pensar no nosso trabalho primeiro. Também temos jogadores de qualidade no nosso time com os quais eles precisarão se preocupar. Já estudamos algumas coisas da equipe adversária. É muito boa, de qualidade, com jogadores de velocidade. Ficamos aqui e trabalhamos forte para fazermos um bom jogo.