| Futebol

Terra de Vinicius Júnior, São Gonçalo vê com orgulho a ascensão da promessa do Flamengo

flameng - Terra de Vinicius Júnior, São Gonçalo vê com orgulho a ascensão da promessa do Flamengo

As crateras nas ruas e a rotina de violência estão ali para lembrar que a vida não é fácil no bairro Porto do Rosa, em São Gonçalo. Mas os moradores ganharam um motivo de orgulho. O bairro vê um de seus filhos virar astro do futebol e esperança da torcida do Flamengo. Aos 16 anos, Vinicius Junior, vendido pelo Rubro-negro ao Real Madrid por 45 milhões de euros, tornou-se esperança num lugar em que muitos jovens só vislumbram ascensão por meio do crime.

— Enche a gente de alegria saber que um jovem como ele, que corria e brincava por aqui, está trilhando um caminho tão bonito — comemora Josimar Dionysio, diretor da Escola Municipal Paulo Freire, onde Vinicius estudou.

Vinicius Júnior com o troféu quando criança Foto: Marcelo Theobald / Extra

Cria do bairro, o atacante se mudou de lá aos 14. Foi morar em Piedade, com um tio, para ficar mais perto do Ninho do Urubu. Mas deixou histórias e apelidos.

— Negra Li, Beiçola... — enumera Leandro Nemer, ex-vizinho e companheiro de pelada: — Ele sempre foi obcecado por futebol. Jogávamos na rua da casa dele mesmo. Quando estava cheia de entulhos, limpávamos tudo com a enxada só para jogar.

Por conta da rotina do Flamengo, Vinicius tem sido menos visto em São Gonçalo. Mas ainda dá as caras por lá. Seja numa visita à igreja ou à escolinha de futebol.

— Ele sempre vem depois dos títulos. Faz questão de trazer as medalhas — conta Valéria Dinucci, administradora da escolinha Fla São Gonçalo.

Carlos Eduardo e Valéria Baraldini com a camisa de Vinicius Júnior Foto: Marcelo Theobald / Extra

Quem entra no local dá de cara com um enorme pôster da revelação rubro-negra, como um selo de qualidade do estabelecimento. Se São Gonçalo ajudou Vinicius a voar mais alto, lá ele deixou suas sementes.

— As pessoas agora ligam perguntando se era aqui que treinava o Vinicius Júnior. A procura por aulas experimentais aumentou significativamente — atesta Carlos Eduardo Beraldini, marido de Valéria e também administrador da escolinha do Flamengo.

Vinicius Júnior se destacou nas categorias de base do Flamengo Foto: Marcelo Theobald / Extra

Obsessão por futebol e paixão pelo Flamengo

Ao renovar com o Flamengo, Vinicius Junior permitiu que o clube pudesse faturar mais com sua transferência para o Real Madrid — a multa rescisória era menor no contrato antigo. Para quem o conhece, tamanha lealdade não é uma surpresa. Se o futebol é sua obsessão, o Rubro-negro é a paixão.

Esse sentimento já pulsava desde o primeiro contato com o futebol. Ganhar dos principais rivais do Flamengo sempre foi um prazer para Vinicius, algo detectado logo em sua primeira escolinha, a Craquinhos de Ouro, no próprio Porto do Rosa.

— Uma vez recebemos o time da escolinha do Vasco em São Gonçalo. Com apenas 6 anos, ele acabou com o jogo sozinho — recorda Edinelson Matos, o Man, treinador da Craquinhos.

Vinicius Júnior sempre se destacou nos times infantis Foto: Marcelo Theobald / Extra

Mas nem tudo são flores na relação dele com o futebol. Considerado um aluno regular, perambulou entre escolas por conta dos horários de treinos e dos jogos. No ano passado, repetiu o 9º ano do Ensino Fundamental.

A entrada no Flamengo, após peregrinar com o pai por diversos clubes e competições, acabou sendo o caminho natural. E, a cada jogo contra os principais rivais, ele não perdia a oportunidade de provocar os amigos. Agora, aguarda o primeiro clássico como profissional.

— Sempre que ia jogar com Vasco, Fluminense ou Botafogo, ele avisava: “Vou acabar com o time de vocês”. No dia seguinte, ia lá e cumpria — conta o ex-vizinho Leandro “Siri”.

Rua onde vivia a família de Vinicius Júnior em São Gonçalo Foto: Marcelo Theobald / Extra

Os dois lados de uma mudança radical

A mudança, com a venda para o Real Madrid, não foi radical e repentina apenas para Vinicius Junior. Assim como ele, seus parentes também tentam se adaptar à nova realidade. Para o bem e para o mal. Para os mais próximos, ela foi mais brusca. Os pais Vinicius e Fernanda, os irmãos Alessandra e Netinho e a sobrinha Jamile se mudaram com ele para a Barra.

Netinho, o irmão mais novo, tenta repetir seus passos e também viver do futebol. Mas, por ironia do destino, em outra posição: goleiro.

— Ele não se conforma até hoje com a escolha do irmão. Sempre brinca com isso — conta Carlos Eduardo Beraldini, que também treinou Netinho, o caçula dos três irmãos da família.

Os amigos de Vinicius Júnior: Leandro Siri ( de capacete) e Andrheus "Ula". Foto: Marcelo Theobald / Extra

Para os parentes que permaneceram em São Gonçalo, a vida também mudou. Toda a badalação em torno do jogador e, principalmente, as cifras astronômicas em torno dele, criaram um constante estágio de alerta.

A visita do Jogo Extra à rua onde ainda moram alguns deles deixou todos em pânico. Ninguém quis dar entrevista. Um amigo da família explicou que os parentes têm evitado a exposição devido ao alto grau de periculosidade da área. Continuam pobres, mas agora temem o risco de assaltos. São os dois lados da mesma moeda.

Escolinha de futebol do Flamengo em São Gonçalo Foto: Marcelo Theobald / Extra

Leandro é amigo de Vinicius Júnior do Bairro do Mútua. Foto: Marcelo Theobald / Extra

Fonte: https://extra.globo.com/esporte/flamengo/terra-de-vinicius-junior-sao-goncalo-ve-com-orgulho-ascensao-da-promessa-do-flamengo-21403656.html

Comentar pelo Facebook

Leia também


Comentar pelo Site

Nenhum Comentário
Seja o primeiro a comentar essa notícia.