| Futebol

TJD-RJ não aceita efeito suspensivo, e Flamengo segue sem torcida em final

Rubro-negro recebe negativa do Tribunal de Justiça Desportiva do Rio de Janeiro e segue sem poder contar com a presença de público nos dois jogos contra o Vasco

flameng - TJD-RJ não aceita efeito suspensivo, e Flamengo segue sem torcida em final

Foi em vão a tentativa do Flamengo de jogar ao lado da sua torcida na decisão do Campeonato Estadual de basquete diante do Vasco. Menos de 24 horas após ser punido com dois jogos com os portões fechados após briga de torcidas em confronto diante do próprio Cruz-Maltino, o rubro-negro entrou com pedido de efeito suspensivo junto ao Tribunal de Justiça Desportiva do Rio de Janeiro (TJD-RJ) e não obteve sucesso. O primeiro encontro entre os rivais está marcado para a próxima segunda-feira, dia 24, às 21h, ainda em local a ser definido. O segundo mando é do Vasco, com presença de público. Caso seja necessário uma terceira partida, o time da Gávea também jogaria com os portões fechados. Por conta da situação, o clube ameaça não jogar.

O Flamengo ainda não se pronunciou oficialmente sobre a manutenção da punição. Na ocasião que acabou em julgamento, duas organizadas do Flamengo entraram em confronto no Ginásio do Tijuca e a partida do dia 3 de outubro, pelo turno do campeonato, chegou a ser paralisada. O Cruz-Maltino venceu por 82 a 77. Alexandre Póvoa, vice-presidente de esportes olímpicos do Flamengo, afirmou que o clube não "entraria nesse circo".

Ele disse que a equipe não jogaria a final contra o Vasco caso fosse punido com a perda de mando de quadra ou caso fosse obrigado a jogar com os portões fechados. Além da punição, o time da Gávea ainda teve aplicada uma multa de R$ 10 mil que no pedido de efeito suspensivo foi cancelada até o julgamento final.

A Federação de basquete do Rio de Janeiro ainda não definiu o local do primeiro jogo da decisão, marcada para o próximo dia 24, segunda-feira, às 21h. Durante o julgamento no TJD-RJ, chegou a ser pedida a proibição de materiais das torcidas organizadas por um ano. A federação carioca tenta a liberação do Maracanãzinho junto ao Comitê Organizador da Olimpíada do Rio de Janeiro, que gerencia o ginásio até o dia 30 de outubro.

Fonte: http://globoesporte.globo.com/basquete/noticia/2016/10/tjd-rj-nao-aceita-efeito-suspensivo-e-flamengo-segue-sem-torcida-em-final.html

Comentar pelo Facebook

Leia também


Comentar pelo Site

Nenhum Comentário
Seja o primeiro a comentar essa notícia.