Torcedor morto após Vasco x Flamengo é enterrado na Zona Oeste do Rio

Cerca de 400 pessoas estiveram na tarde desta segunda-feira no Cemitério de Santa Cruz, na Zona Oeste do Rio, no enterro de Davi Rocha Lopes, de 26 anos, torcedor do Vasco baleado no peito nos arredores de São Januário após a partida contra o Flamengo, no sábado. O velório foi acompanhado por familiares e integrantes da Força Jovem do Vasco, torcida organizada da qual Davi era membro. Após o velório, o caixão foi carregado ao som do hino do clube.

Irmão de Davi, Carlos Henrique, de 35 anos, afirmou que a família ficou muito abalada com a morte e que aguarda a investigação da Polícia Civil para saber quem fez o disparo que matou seu irmão.

- A bala ficou alojada nele e foi retirada pelo IML (Instituto Médico Legal). Em até 30 dias, vamos saber se era da arma de um PM (policial militar). Se for confirmado que é, a gente pensa em processar o Estado - afirmou Carlos Henrique. - Ninguém tem o direito de dar o tiro e tirar a vida de uma pessoa, independente de quem ela seja.

No enterro, muitos amigos do torcedor vestiam uma camisa com a foto de Davi e os dizeres "Saudades eternas, Jacaré vive", em referência ao seu apelido. Davi era morador de Santa Cruz e integrante da 9ª Família da Força Jovem, uma das torcidas organizadas envolvida nos confrontos de sábado.