Logo no primeiro tempo, defendeu um chute à queima-roupa e teve seu nome gritado pelos rubro-negros cariocas que estavam no estádio. Depois, ainda fez duas outras boas defesas e se consolidou como o nome do jogo. Ele que já vinha de uma grande atuação na quarta-feira, quando, depois de dois anos sem jogar, foi o personagem da classificação flamenguista à final da Sul-Americana, defendendo inclusive um pênalti frente ao Junior de Barranquilla.

Com a má fase de Alex Muralha, bastaram duas exibições consistentes para que o goleiro tomasse conta da posição - Diego Alves, titular absoluto, sofreu uma fratura na clavícula. Agora, uma coisa é certa: não se tem mais dúvidas sobre quem entrará em campo diante do Independiente-ARG para tentar encerrar a temporada com um título internacional. Ave, César!