| Futebol

Tyrone é suspenso, e Marcelinho é absolvido por confusão em Mogi x Fla

Americano do Mogi levou suspensão de duas partidas após polêmica no duelo pelo NBB, em 17 de janeiro. Fisioterapeuta e irmão de Marcelinho também sofre punição

flameng - Tyrone é suspenso, e Marcelinho é absolvido por confusão em Mogi x Fla



O ala-pivô Tyrone, do Mogi das Cruzes, foi suspenso por dois jogos devido à confusão em que se envolveu com o ala Marcelinho, do Flamengo, no duelo entre as equipes pelo NBB, no dia 17 de janeiro. Os dois atletas foram julgados pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) na noite desta terça-feira, em São Paulo, e o americano pegou gancho de duas partidas, o que, a princípio, o libera para o novo confronto do Mogi com o Rubro-Negro, previsto para 14 de fevereiro, no Rio de Janeiro. Por outro lado, Marcelinho foi absolvido.

Na ocasião, Marcelinho acusou Tyrone de ter sido maldoso em um lance logo no início do terceiro quarto do jogo, vencido pelo Flamengo por 83 a 57, em Mogi das Cruzes (confira a jogada no vídeo acima). A arbitragem optou por não marcar falta. Logo após a partida, o jogador do Flamengo criticou Tyrone, dizendo que o ala-pivô era “sujo” e foi “desleal” no lance. O americano se defendeu, alegando que “joga duro” e sugerindo a aposentadoria de quem não concordasse.


Nesta terça, Tyrone foi julgado por duas condutas no artigo 250 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD), que prevê suspensão de um a três jogos para quem “praticar ato desleal ou hostil durante a partida”. Em uma delas, o ala-pivô recebeu pena de advertência. Na outra, levou a suspensão de dois jogos, que o tiraria das partidas contra Caxias do Sul, na quinta-feira, e Vasco da Gama, no sábado, ambas em Mogi.

+ CONFIRA A TABELA COMPLETA E A CLASSIFICAÇÃO DO NBB

Já Marcelinho também foi julgado pelo artigo 250 do CBJD, mas acabou absolvido. Seu irmão, Ricardo Machado, que é fisioterapeuta do Flamengo, foi julgado em dois artigos devido à reclamação excessiva pelo lance, que lhe rendeu a desqualificação na partida. Pelo artigo 258-B, que trata de invasão de quadra, ele foi suspenso por um jogo. Ricardo ainda recebeu uma advertência pelo artigo 258, que fala em “assumir qualquer conduta contrária à disciplina ou à ética desportiva não tipificada pelas demais regras do Código”.

O Mogi das Cruzes também foi julgado nesta terça, pelo artigo 431 do regulamento do NBB, que prevê punição de R$ 2 mil a R$ 7 mil para as "arenas que não apresentarem condições para atendimento emergencial aos torcedores ou jogadores e comissões técnicas, com maca e equipamentos de primeiros socorros e não providenciar, em todos os jogos em que for mandante, um médico e dois enfermeiros com nível superior". O clube ainda poderia ser multado de R$ 100 a R$ 100 mil por deixar de cumprir o regulamento da competição, conforme prevê o artigo 191, em seu inciso III do CBJD. Porém, o Mogi acabou punido com uma multa de R$ 1 mil, reduzida para esse valor por se tratar do primeiro caso envolvendo o clube.

Fonte: http://globoesporte.globo.com/sp/mogi-das-cruzes-suzano/nbb/noticia/2017/02/tyrone-e-suspenso-e-marcelinho-e-absolvido-por-confusao-em-mogi-x-fla.html

Comentar pelo Facebook

Leia também


Comentar pelo Site

Nenhum Comentário
Seja o primeiro a comentar essa notícia.