| Futebol

Uma carta para Zé Ricardo

flameng - Uma carta para Zé Ricardo

Prezado Zé Ricardo,

Sabe, confesso que vi sua assunção ao posto de nosso técnico com certa desconfiança. Você ainda era “interino” e eu me perguntava sobre as possibilidades que tínhamos e o que você poderia entregar.

Não posso e nem devo me esquecer que meu conhecimento sobre seus trabalhos na base eram bons. Com algumas reservas, muito respeito e uma bela dose de crédito, gostei do que vi em sua interinidade e optei pelo voto de confiança.

Sempre soube que a pressão seria grande e não sabia se você e a diretoria dariam conta dessa “aposta” em meio a um período de urgência por títulos e protagonismo. Sabia também que a aposta em um jovem valor no comando nos traria um pacote de ônus e bônus.

Ainda dentro desta mesma linha de raciocínio, sempre refutei e achei injusto o rótulo de trainee, treineiro, estágiário e tantos outros que vieram com o tempo. Você transformou um bando comandado por um medalhão em um time competitivo e coeso.

Encerrei o ano defendendo sua manutenção e apanhando um tanto por isso. Gostei de muita coisa do que vi nos últimos 70 jogos, mas acho que precisamos falar um pouco mais sério agora.

Sejamos sinceros, Zé. Você pode mais! Eu entendo que o Flamengo não seja um ambiente para amadores, eu entendo que o encaixe encontrado ano passado acabou seduzindo você e deixando parte de suas convicções de lado.

Afinal, você SEMPRE gostou de volantes dinâmicos e habilidosos. Você se lembra? Zé, às vezes tenho a impressão de que você se esqueceu um pouco de como você era, das convicções que você tinha e também de onde você veio.

É fundamental que você se recorde que você fez com que esses garotos virassem jovens promissores. Esses mesmos, que às vezes você esquece. Eu tenho certeza que eles se lembram de como eles também fizeram com que muitos soubessem quem você era e olhassem pra você quando a saúde do Muricy não deu conta. Eles mesmos, que às vezes você esquece.

Zé, agua demais mata planta. Os meninos precisam aprender como são as coisas. Eles, você e nós, o Flamengo, precisamos saber se serão ou não profissionais e em que nível. Você tá fazendo isso com o Matheus Sávio, vem fazendo com o Vinícius, mas você pode mais, Zé. Você deve mais!

Entendo que a manutenção do seu emprego e sua consolidação como treinador dependam de resultados, mas você tem tempo de Flamengo suficiente pra nos conhecer. Aproveite que a concorrência anda baixa no mercado de treinadores e a blindagem que você vem tendo, arrisque!

Nenhum momento poderia ser melhor do que agora, Zé. Vai por mim, e olha que ando sem a menor paciência contigo. Tenho certeza de que um pequeno resgate em suas convicções verdadeiras devem surtir um efeito incrível em campo.

Olhe para os meninos com carinho e respeito, mas também com responsabilidade. Afinal, é preciso que se tornem homens! Esse caminho não será trilhado com excesso de cuidados.

Mais que isso, lembre-se sempre de como você SEMPRE utilizou volantes técnicos e se recorde de como o Ronaldo deu ao nosso meio segurança e dinamismo.

Você fez o mais difícil no profissional. Deu padrão, controle e competitividade a um time, quase que independente de peças. Mas é preciso repensar algumas escolhas.

Seja teimoso! Seja teimoso, sim! Mas seja teimoso com quem merece e pode entregar, Zé!

Vou te dar um conselho, mas um conselho de quem, mesmo revoltado contigo, ainda torce pelo seu sucesso à frente do time que amo. Repense.

Tenho a certeza de que ou você dá fim ao ciclo de jogadores questionáveis no time titular ou esses jogadores questionáveis decretarão o fim do seu ciclo no comando do Flamengo.

Um abraço, Zé!

Thigu Soares
Twitter: @thigusoares

Fonte: http://colunadoflamengo.com/2017/05/uma-carta-para-ze-ricardo/

Comentar pelo Facebook

Leia também


Comentar pelo Site

Nenhum Comentário
Seja o primeiro a comentar essa notícia.