| Futebol

Uri Geller em seu aniversário: "Flamengo está na alma e na pele"

Julio César declara seu amor ao clube em seu aniversário de 59 anos; eterno ídolo rubro-negro carrega em uma tatuagem o escudo do Mais Querido

O apelido de Uri Geller veio por entortar os adversários com dribles desconcertantes, em alusão ao ilusionista israelense homônimo, que ganhou fama na década de 1970 por dobrar talheres "com a força do pensamento". Considerado por muitos o melhor ponta-esquerda da história do Flamengo, Julio César da Silva Gurjol nasceu no dia 03 de março de 1956, no Rio de Janeiro, e carrega o escudo rubro-negro tatuado na pele. "Isso já tem uns cinco, seis anos. O Flamengo está na minha alma e na minha pele. Foi o clube que me abraçou, me alimentou. Eu morava em uma comunidade aqui ao lado (da sede social da Gavea), onde hoje é a Cruzada São Sebastião. Vinha para cá não só para treinar, mas também para comer", conta o craque, que hoje ainda trabalha na Gávea e, ao lado de outro ídolo da Nação, Adílio, é um dos responsáveis pela Responsabilidade Social do clube.

O fato de fazer aniversário no mesmo dia do eterno camisa 10 da Gávea acarretou a Julinho, como é chamado pelos amigos, situações engraçadas, mas também muito orgulho pela agradável coincidência. "Em 1979, nós fomos jogar em Alagoas, contra o CSA, e o jogo caiu no dia 3 de março. Lá no hotel, fizeram uma festa tremenda para o Zico e eu fiquei na minha, escondidinho. Lembro na hora do jantar do bolo enorme que levaram para o Galo e só fiquei esperando a hora de brincar com o pessoal: 'Poxa, gente, hoje também é meu aniversário' (risos). Me pediram mil desculpas, tentaram arrumar mais um bolo em cima da hora... Mas aquele jogo foi legal, ganhamos por 2 a 0, com duas jogadas minhas e dois gols do Zico", revela Uri Geller, que ainda contou outra história inusitada, desta vez com seu neto.

"Ele me ligou e disse: 'Vô, não vai esquecer, hoje é aniversário do Zico, dá uma ligada para ele!' (risos). Todo dia 3 de março ligo para o Galo e ele fica rindo comigo. Mas é fantástico fazer aniversário no mesmo dia do maior de todos. Agradeço aos meus pais, dona Carmem e seu Haroldo, pela data do meu nascimento. Temos uma parceria de décadas e é uma agradável concidência", disse.

De campeão brasileiro no Flamengo a melhor atacante da Argentina
Em cinco anos, Julio César defendeu o Manto Sagrado por 133 jogos. Sua partida de maior destaque no clube foi na histórica vitória por 2 a 1 sobre o Barcelona, pelo Troféu Ramón de Carranza de 1979, quando fez um dos gols rubro-negros. Neste confronto, a imprensa europeia comparou a ginga de Julio César a de Garrincha. Uri Geller teve duas passagens pelo Flamengo: de 1975 a 1977, o ponta não conquistou nenhum título. Já em seu retorno, na Era Zico, quando ficou no clube de 1979 a 1981, o ponta ganhou uma série de troféus. Além do primeiro Campeonato Brasileiro conquistado pelo Mais Querido, em 1980, o jogador venceu o os três turnos e a edição especial do Campeonato Carioca de 1979, a Taça Guanabara (1979 e 1980), o Troféu Ramón de Carranza (1979 e 1980) e o Torneio Cidade de Santander (1980).

Depois de atuar pelo Vermelho e Preto, Julio César jogou no Talleres de Córdoba, da Argentina, na temporada 1981/1982, atuando em 27 jogos e marcando sete gols. Lá, ele recebeu o prêmio de melhor atacante da temporada, enquanto Maradona venceu como melhor meia.

Fonte: http://www.flamengo.com.br/site/noticia/detalhe/20567/uri-geller-em-seu-aniversario-flamengo-esta-na-alma-e-na-pele

Comentar pelo Facebook

Leia também


Comentar pelo Site

Nenhum Comentário
Seja o primeiro a comentar essa notícia.