| Futebol

Utopia e liberdade

Agora vai...

Seria uma utopia achar que poderíamos moralizar de vez o Futebol Brasileiro. Quando o binômio poder e dinheiro estão no meio, sempre haverá politicagens, espertezas e manipulações . Cremos que a criação da LIGA seja um grande avanço, para melhores dias em relação a organização do nosso futebol.

Os clubes devem organizar o calendário, administrar em consenso o mundo futebolístico, livrarem-se de vez do julgo da CBF e das federações espalhadas por todos os estados brasileiros.

A chamada Lei Pelé, bem como o Estatuto do Torcedor facultam aos clubes a criação das ligas e a consequente libertação dos feudos que se tornaram essas entidades.

O que estava faltando era arrojo, coragem para encarar este desafio, o primeiro passo está dado, a CBF antes intransigente teve que se vergar ao desejo dos clubes fundadores da liga. A FERJ e seu presidente terão que acatar a nova realidade, espernear certamente, mas ter a consciência que o  seu poder ditatorial está no fim.

 

Agora vai...

Tudo caminha para o Flamengo realizar uma grande temporada, alguns altos e baixos no início  são normais, é natural também a desconfiança dos nossos torcedores, as frustrações dos últimos anos nos fizeram uma espécie de "gatos escaldados" com medo de água fria.

As duas primeiras partidas não nos deram maiores esperanças, mas no jogo contra o Atlético Mineiro já observamos avanços indiscutíveis na formação da equipe. 

Com o elenco que já temos e a perspectiva da chegada de mais um bom zagueiro, não temos dúvidas que o Rubro-negro estará apto para voltar a ser protagonista no futebol do Brasil. Também a excelência do nosso treinador Muricy Ramalho nos aponta para um ano promissor.

Temos dois bons goleiros, Paulo Vitor e Alex Muralha disputam  ombro a ombro quem defenderá o arco do "MAIS QUERIDO", o ainda tímido Rodnei demonstra que sabe jogar, a interrogação Juan fez grande jogo contra o time mineiro, ainda precisamos de outro zagueiro, que está sendo providenciado, o Jorge apesar de algumas críticas é um lateral de grande potencial, o Cuéllar é outra grande esperança, o W.Arão também já mostra que será de grande valia. O Mancuello é um excelente jogador, tem a capacidade de colocar os companheiro na cara do gol, o Alan Patrick poderá ser o segundo meia, tem qualidades, sob o comando do Muricy poderá ser um jogador mais constante, o Sheik é decisivo, tem estrela e continua com sua invejável vitalidade, o Guerrero ficou  meses sem marcar, porém num jogo apenas marcou dois gols, com o ajuste do time, certamente voltará a ser o temível goleador de sempre. Os onze estão escalados? Cremos que não, o Marcelo Cirino pede passagem, o Everton está  no elenco, o Ederson em boas condições físicas é candidato a uma vaga, Canteros se voltar a jogar o que sabe também poderá chegar a titularidade. 

Em fim, já temos mais que um time, estamos formando um elenco, também não se deve esquecer a garotada da copinha, Léo Duarte, Ronaldo e Vizeu são promissores e já estão no elenco principal. ASSIM SENDO... ACHAMOS QUE AGORA VAI...

 

Vestiu Rubro-Negro

Começou o decadente carioqueta, um campeonato promovido por Rubens Lopes e sua turma, evidente que não pode dar certo ou não é feito mesmo para dar certo.

Na verdade, o presidente da federação está se lixando pro futebol, o que é pra valer são as negociatas, as taxas abusivas de 10 % altamente lesivas aos clubes.  Hoje o    outrora pujante Campeonato Carioca de tantas tradições, virou um mero torneiozinho de verão ou uma continuidade da pré-temporada.

Mas,  apesar dos pesares, confesso que quero o Flamengo como campeão, naquela máxima, "vestiu Rubro-Negro" não pode ter pra ninguém. São mais de cem anos de tradição, o Flamengo é o clube que mais ganhou este título etc e tal. 

Talvez ou certamente um campeonato de cartas marcadas, o time do nefasto Eurico provavelmente será beneficiado pelas forças ocultas engendradas por Rubens Lopes e pelo próprio  Eurico Miranda, ao modesto foguinho restará o papel de coadjuvante desta peça bufa.

Porém, ainda creio na força de nossa camisa, no trabalho do treinador Muricy e na nova era que se inicia no futebol do Flamengo.

 

Histórias Rubro-Negras

1978

 

Neste ano, além da magnífica conquista do então forte e pujante Campeonato Carioca, com o famoso gol do Deus da Raça Rondinelli, o Flamengo também teve uma outra conquista digna de registro. Ganhou o Troféu Palma de Majorca, ao derrotar o poderoso Real Madrid.  Neste memorável encontro terminamos o jogo com apenas sete jogadores, quatro foram expulsos pelo faccioso árbitro Alscua Sainz, ganhamos por 2 x 1 gols de Eli Carlos e Cléber e tivemos dois gols legítimos anulados pelo apitador, uma extraordinária atuação do goleiro Raul nos garantiu o título, ao final do jogo, a torcida espanhola passou a torcer pelo Flamengo, indignada que estava com a calamitosa atuação do referido árbitro. 

Começamos este ano um pouco claudicantes, no brasileirão disputado no primeiro semestre, estávamos desfalcados do treinador Cláudio Coutinho, do nosso astro Zico e do lateral Toninho Baiano, todos servindo a seleção na Copa da Argentina. No meio do ano passamos a  contar com a experiência e a  categoria do goleiro Raul, alguns outros reforços nos ajudaram também na excelência daquele final de temporada, podemos citar Cléber e Marcinho vindos  do Atlético Mineiro, também alguns jovens começaram a confirmar a expectativa criada em tornos de seus nomes, Tita e Adílio principalmente. 

No Campeonato Carioca ganhamos o primeiro turno, que  já nos daria toda a  credencial para uma possível finalíssima, porém também vencemos o  segundo turno, assim já garantimos o título sem precisar de mais nada. Neste lendário 1 x 0 contra o eterno vice Vasco da Gama, gol  do Rondinelli ficou marcado para sempre na alma do torcedor Rubro-Negro, foi uma apoteose no saudoso velho e inesquecível Estádio Mario Filho. 

Nesta temporada jogamos 80 jogos, obtivemos 50 vitórias, 18 empates e somente 12 derrotas, inacreditáveis mais de 74 % de aproveitamento nos jogos disputados. Marcamos 143 gols e sofremos 49, um saldo expressivo de 94 gols. Zico foi mais uma vez o artilheiro com 25 gols, depois C.Adão com 21 gols, Tita com 15 gols, Adílio com 14 gols, Júnior com 12 gols, Radar com 10 gols e assim por diante. A base do time foi : Raul. Toninho, Rondinelli, Nelson e Júnior. Carpegianni. Adílio e Zico, Tita. C.Adão e Cléber, ainda jogaram Cantarelli,  Leandro, Manguito, Lino. Marcinho. Radar, Eli Carlos . L.Paulo e outros mais...

SRN


Comentar pelo Site

7 Comentários
image

Kassandro RichelieuHá 6 meses

teste

image

Kassandro RichelieuHá 6 meses

teste

image

Kassandro RichelieuHá 6 meses

teste2

image

Kassandro RichelieuHá 6 meses

teste3

image

Kassandro RichelieuHá 6 meses

teste

image

Kassandro RichelieuHá 6 meses

teste

image

Edmilson Lani Boschetti FilhoHá 6 meses

teste

Carregar mais