Varejão MVP, Marquinhos e Rhett cestinhas, último de Marcelinho: Flamengo brilha no Jogo das Estrelas

Varejão MVP, Marquinhos e Rhett cestinhas, último de Marcelinho: Flamengo brilha no Jogo das Estrelas

Foto: Jogo das Estrelas 2018/LNB

Que seria o Jogo das Estrelas mais rubro-negro em dez anos de Novo Basquete Brasil todos já sabiam. Porém, os sete atletas do Flamengo que estiveram no ginásio do Ibirapuera, em São Paulo (SP), entraram em quadra dispostos a dominar o evento de todas as formas. Neste domingo (18), a maior festa do esporte brasileiro teve show dos grandes personagens da modalidade, ótimos desafios e um show no confronto entre NBB Brasil e NBB Mundo, que terminou em 130 a 121.

Marcelinho e Rhett participam dos desafios
Iniciando os trabalhos do domingo, os escolhidos para os desafios do Jogo das Estrelas entraram em quadra para a briga pelos troféus da manhã. No Torneio de 3 Pontos, o bicampeão Marcelinho Machado foi o primeiro a arremessar e fez 16 pontos, mas acabou superado pelos adversários e ficou na primeira fase.

Em seguida, MJ Rhett fez bonito no Torneio de Enterradas. O norte-americano passou direto do primeiro duelo, que seria com David Nesbitt, do Paulistano, mas não aconteceu por uma lesão do adversário. Em seguida, Greg Brown, do Campo Mourão, tentou superar a enterrada no estilo Pantera Negra + Air Jordan do rubro-negro, mas não conseguiu cravar a tempo. A decisão foi diante de Gui Bento, do Pinheiros, mas MJ acabou perdendo por estourar o relógio.

Constelação de estrelas
Um jogo como deve ser: celebração, show em quadra e belíssimos lances. Brilhando com sete atletas e o técnico José Neto, o Flamengo foi fundamental para o grande desempenho de NBB Brasil e NBB Mundo. Os quatro rubro-negros fizeram 65 dos 130 pontos que deram a vitória para os brasileiros na partida. Do outro lado, os gringos também brilharam e MJ Rhett incendiou o ginásio do Ibirapuera.

Destaque com um duplo-duplo (18 pontos, 15 rebotes e três assistências), Anderson Varejão foi o MVP do JDE em seu primeiro ano. Cestinha geral, Marquinhos marcou 29 pontos e pegou cinco rebotes. Maior pontuador entre os gingos, MJ Rhett encantou os torcedores presentes com 25 pontos e quatro rebotes. Em seu último evento na carreira, Marcelinho destruiu nas cestas de três, acertando 14 pontos, três rebotes e seis assistências.

JP Batista fez quatro pontos, cinco rebotes e três assistências. Já Ramon somou cinco pontos e David Cubillan saiu com sete de São Paulo.

Fala, capitão!
"Por tudo que vivi nas quadras, o tempo que dediquei ao basquete, ter recebido tantas homenagens nesta última temporada. Hoje é meu último Jogo das Estrelas. Não esperava a homenagem como foi… depoimento do Kobe Bryant me emocionou bastante, estar com a minha família. Estou muito feliz. Estava conversando com a Hortência que existe sim um pouco de tristeza por estar deixando de fazer algo que amo, mas tem a felicidade por ter vivido tão intensamente tantos anos de basquete. Só posso ser grato a todos que me ajudaram, jogadores, treinadores, diretores, imprensa, fãs", disse Marcelinho.

"Cada vez podemos ver um clima melhor. É uma festa do basquete brasileiro, todas as pessoas envolvidas entendem desta forma, até os jornalistas têm um pouco mais descontração. Tem os vencedores, claro, mas no fim quem ganha é o esporte", completou.

De volta ao Rio
Voltando suas atenções ao Novo Basquete Brasil 10, o Flamengo segue se preparando para os dois últimos desafios da fase de classificação. Contra o Basquete Cearense no dia 25 de março, o Mais Querido, que já tem a segunda colocação garantida, continua na luta pela liderança da tabela.

As equipes de basquete do Clube de Regatas do Flamengo contam com recursos de seus patrocinadores – thinkseg, Estácio, AmBev, Rede D’or, IRB Brasil RE, CSN, Brasil Plural, EY – via Lei de Incentivo Federal/Ministério do Esporte (IR) e Lei de Incentivo Estadual/Secretaria de Estado de Esporte, Lazer e Juventude (Seelje) do Rio de Janeiro, além de apoio do Comitê Brasileiro de Clubes (CBC) proveniente da descentralização de recursos oriundos da Lei Pelé. O Projeto Anjo da Guarda Rubro-Negro, de transferência fiscal de pessoa física, beneficia todas as modalidades olímpicas do Mais Querido.