| Futebol

Vasco x Fla nos tribunais: TJD/RJ julga anulação da final estadual nesta quinta

Pedido da impugnação da decisão do Carioca partiu do Cruz-Maltino por causa do erro na súmula da partida. Árbitro e bandeirinha da polêmica estarão presentes

 

O Campeonato Carioca terminou no último dia 13 de abril com o 33º título estadual do Flamengo. Mas uma "nova partida" será realizada nesta quinta-feira e bem longe do Maracanã. A partir das 18h, o Tribunal de Justiça Desportiva do Rio de Janeiro (TJD/RJ) vai julgar em sua sede, no centro da cidade, o pedido de impugnação da partida impetrado pelo departamento jurídico do Vasco. O Cruz-Maltino apoia sua reclamação no erro apresentado na súmula do jogo, que apontou o autor do gol da conquista como Nixon no lugar de Márcio Araújo - que estava impedido no lance (relembre no vídeo acima). Por pedido do clube de São Januário, o árbitro Marcelo de Lima Henrique e o bandeirinha Luiz Antônio Muniz - este último responsável direto por validar o gol - estarão presentes e serão interrogados na sessão.

Além deles e do advogado vascaíno Marcello Macedo, representantes do Flamengo e da Federação de Futebol do Rio de Janeiro (Ferj) também vão participar do julgamento. A defesa cruz-maltina tentará provar má-fé na formulação da súmula. Para Macedo, o mais importante é que a fiscalização sobre erros de arbitragem seja mais severa.

- O principal é que a condução do processo seja completamente isenta. Não podemos achar que esse julgamento é igual aos outros. É preciso avaliar a verdade dos fatos. Espero que os auditores decidam de maneira justa, seja qual for o final da história. Por mais que nunca tenha acontecido algo nesse sentido (impugnação da partida por erro da arbitragem), sempre é o momento de se refletir e pensar sobre o assunto. Acho que foi um erro de direito e é preciso que haja uma fiscalização mais severa sobre os árbitros. Isso é o crucial. Não podemos achar que todo erro é de fato, que o juiz pode fazer o que quiser que jamais será responsabilizado. Isso dá margem para que eles possam cometer um ato ilegal e ninguém conteste. É preciso que tenhamos critérios mais claros para evitar erros clamorosos. No meio disso tudo, o clube perde milhões, a torcida fica triste e o árbitro sempre vai falar que errou porque é humano - frisou.

Na próxima quarta-feira será a vez de o vice-presidente de futebol vascaíno, Ercolino de Luca, ir a julgamento no mesmo tribunal. A pauta envolvendo o dirigente já foi adiada duas vezes por causa de greves no Rio (Polícia Militar e rodoviários). Ele criticou duramente a arbitragem e a Ferj após o empate por 1 a 1 da final do estadual. O erro da arbitragem revoltou a diretoria vascaína, que emitiu nota de repúdio contra a federação e adotou medidas judiciais, como o próprio pedido de impugnação da decisão. O dirigente pode ser suspenso por um período longo na pena máxima (180 dias) e curto na mínima (15 dias).

Comentar pelo Facebook

Leia também


Comentar pelo Site

Nenhum Comentário
Seja o primeiro a comentar essa notícia.