Veterano do Flamengo reclama: 'Gosto que olhem para o meu rendimento'

Veterano do Flamengo reclama: 'Gosto que olhem para o meu rendimento'

RIO - Aos 42 anos, Marcelinho Machado continua fazendo barulho no basquete brasileiro. Neste sábado, o veterano do Flamengo ficou todo o primeiro quarto no banco. De lá, viu o Vasco ter até 12 pontos de vantagem e o rubro-negro não acertar um arremesso de três pontos sequer. Acionado a partir do segundo quarto, ele terminou o jogo como cestinha, com 22 pontos, e conduziu seu time à vitória de 89 a 81, na Arena Carioca 1.

— As pessoas acabam questionando muito olhando para o número, 42 anos, e gosto que olhem para o meu rendimento. É em cima disso que trabalho todos os dias — afirmou Marcelinho. — O clássico é um jogo diferente. Não importa muito a fase, em que posição os times estão. É um jogo sempre disputado.

A partida foi dura desde o início, e a vitória do Flamengo só foi assegurada no último dos 40 minutos. Com o resultado, o rubro-negro chegou a 75% de aproveitamento (seis vitórias e duas derrotas), mesmo rendimento do Pinheiros. Os dois vice-líderes se enfrentarão em 7 de janeiro, no Rio.

Neto enaltece veterano

O técnico José Neto, do Flamengo, elogiou seus jogadores pela vitória no clássico carioca. O resultado colocou o time na melhor posição da tabela desde o começo da competição, em novembro. O rubro-negro ainda carrega o peso da perda do último NBB e da eliminação na Liga Sul-Americana no mês passado.

— Esse time merecia essa vitória. A gente tem um foco bem ajustado para o que a gente quer. Não vai ser uma temporada ruim ou um mau momento que vai tirar esse foco — disse o treinador. — O time foi brioso, buscou até o fim. Foi mérito dos jogadores que tiraram essa força da alma.

Neto enalteceu ainda Marcelinho, que faz a temporada final de sua carreira.

— Ter o Marcelo no time é um orgulho para o Flamengo e para todos nós. Todo mundo viu que ele sabe muito bem o que significa jogar uma partida como essa. Ele contagiou todo mundo — avaliou.

Decepção no Vasco

Enquanto o último jogo do ano foi de alegria no Flamengo, o rival acentuou sua frustração. Reforçada para conseguir o título, a equipe comandada por Dedé Barbosa é apenas 11ª em uma competição com 15 times. São sete derrotas e apenas três vitórias.

O armador Nezinho foi cestinha do time com 18 pontos. Destaque do primeiro quarto, o ala Gui Deodato deixou a quadra com uma fratura na mão direita e deve ficar dois meses e meio fora.

— Nosso retorno à defesa não está legal. Fazendo isso, a gente vai ter uma reviravolta — analisou o ala-pivô Giovannoni.