Vibrante e pronto para incendiar o jogo, Arthur Pecos cresce em sua primeira temporada

Vibrante e pronto para incendiar o jogo, Arthur Pecos cresce em sua primeira temporada

Foto: Staff Images/Flamengo

Vibração, agilidade e o talento para incendiar qualquer partida. Para Arthur Pecos, sua primeira temporada pelo Flamengo tem sido de crescimento e, principalmente, de identificação com o Manto. Incendiando as Arenas por onde passa e sempre com muita vontade em quadra, o camisa 23 se firma como parte importante na rotação rubro-negra.

Sempre disponível para o chamado de José Neto, Pecos pode não estar no quinteto titular, mas não passa despercebido quando entra em quadra. Gritando instruções e apoiando os companheiros, ele mostra visão de jogo e atenção quando solicitado, fazendo a diferença para o Rubro-Negro.

Em 28 partidas disputadas, o armador jogou em média 20.1 minutos, marcou 5.5 pontos, 2.6 rebotes e 3.1 assistências. Aos 23 anos, ele tem 7.3 de eficiência e vem de uma temporada em que foi eleito melhor sexto homem do NBB, quando ainda atuava pelo Paulistano.

"As expectativas são as melhores sempre. Como ainda não sabemos o nosso adversário, mas já temos a noção de quem pode ser pela chave que estamos esperando, vamos trabalhando firme, fazendo o nosso trabalho, melhorando as coisas que têm que melhorar e, quando sair o cruzamento, podemos botar em prática tudo que treinamos nessas duas semanas pra avançar pra próxima fase e desempenhar o melhor papel que a gente puder dentro de quadra", disse o armador.

O Flamengo se prepara na reta final do Novo Basquete Brasil 10 e sabe a força que tem seu elenco. Para Pecos, será a oportunidade de coroar sua primeira temporada com o Manto Sagrado. Para o Mais Querido, a chance de voltar ao topo do basquete nacional.

As equipes de basquete do Clube de Regatas do Flamengo contam com recursos de seus patrocinadores – thinkseg, Estácio, AmBev, Rede D’or, IRB Brasil RE, CSN, Brasil Plural, EY – via Lei de Incentivo Federal/Ministério do Esporte (IR) e Lei de Incentivo Estadual/Secretaria de Estado de Esporte, Lazer e Juventude (Seelje) do Rio de Janeiro, além de apoio do Comitê Brasileiro de Clubes (CBC) proveniente da descentralização de recursos oriundos da Lei Pelé. O Projeto Anjo da Guarda Rubro-Negro, de transferência fiscal de pessoa física, beneficia todas as modalidades olímpicas do Mais Querido.