Vinicius Junior brinca como apresentador e entrevista Lucas Paquetá; assista

Vinicius Junior brinca como apresentador e entrevista Lucas Paquetá; assista

A programação da FlaTV ganhou um apresentador diferente e inusitado. O atacante Vinicius Junior foi convidado para mudar o roteiro e entrevistar seu companheiro Lucas Paquetá nesta quarta-feira (21). Em clima de muitas risadas, os amigos conversaram de maneira descontraída no Ninho do Urubu - o vídeo completo você assiste abaixo. 

Entre os assuntos comentados, Paquetá lembrou do seu início no clube, da primeira partida como profissional e do primeiro gol marcado. O meia também brincou com Vinicius Junior ao contar histórias de vestiário e até de um funk criado quando criança para homenagear o Flamengo.

Titular com Paulo César Carpegiani ao desbancar Willian Arão, Lucas Paquetá tem dois gols em 11 jogos nesta temporada. Já Vinicius Junior, que caiu nas graças da torcida após brilhar contra o Emelec, pela Libertadores, soma seis gols em 12 partidas. 

Confira os trechos da entrevista: 

Chegada ao Flamengo: 
- Cheguei no Flamengo com oito anos, morava em Paquetá ainda. Minha mãe e meu avô viram no jornal que tinha uma peneira no Flamengo. Resolveram me trazer. Marcaram um teste na Gávea, porque não podia treinar no campo com oito anos. Fiz o teste, acabei ficando. Depois de seis meses vim para o campo - 

Entrada no grupo do Flamengo:
- Eu comecei no salão, a primeira vez no campo foi em um treino do meu irmão que já treinava aqui. Minha mãe pediu ao Mauro Félix para que eu fizesse um treinamento. Ele ficou receoso porque eu era muito novo. Treinei bem, era lateral-esquerdo. Depois do treino ele me pegou e falou que eu só sairia do Flamengo se quisesse - 

Vídeo cantando funk do Flamengo:
- Sempre fui fã do Flamengo, era fã daquele time. Naquela época do Ronaldinho estava bem empolgado com aquele time. Tive a ideia de criar uma música, fui criando do goleiro até o atacante e foi saindo o 'Bonde do Mengão sem freio' - 

Paquetázinha da sorte:
- Vi a postagem, já tinha mais idade, tinha 15 anos. Ainda era um pouco pequeno, acabou que viralizou e fiquei feliz pelo carinho da torcida com a brincadeira. Espero que continue dando sorte -

Lucas Paquetá como apelido:
- Foi o Vitor que me deu esse apelido, era uma brincadeira de quem morava mais longe, eu ganhava toda. Chegava gente nova e eu continua ganhando. Acabou que ficou, só me chamavam de Paquetá - 

Transição para o profissional:
- A transição foi bem tranquila, o processo que o Flamengo vem fazendo na base me ajudou muito, aconteceu no tempo certo. A adaptação no profissional foi muito boa, todos os atletas me receberam bem, a comissão me passou bastante tranquilidade e confiança -

Primeiro jogo e gol no profissional:
- Meu primeiro jogo foi no Carioca de 2016, contra o Bangu, em Volta Redonda. Estava bem nervoso quando entrei em campo. Vi o Ederson saindo, fiquei assutado, o '10' ta vindo. Fiz m** pra caramba nesse jogo. Foi uma experiência muito boa. Meu primeiro gol foi quando foi voltei do Sul-Americano, contra o Madureira, foi um gol bem bonito, de cobertura - 

Gosto musical: 
- Gosto muito de música, pagode, samba, mas o funk é onde sai os passinhos. Você (Vinicius) deve saber bem como é. Mas é uma brincadeira, principalmente quando comemoro um gol. A dança é alegria de marcar pelo Flamengo. A gente combina no vestiário, no almoço, no videogame - 

Ídolos no esporte:
- No Flamengo, não só meu, mas de todo mundo, é o Zico, tem uma história brilhante aqui dentro. No futebol em si, eu me espelho no Kaká pela história de vida e o Neymar é um ídolo para todos, não só no futebol brasileiro -