Mesmo com o resultado positivo no último sábado, diante do Coritiba, quem estava em campo na Ilha do Urubu pôde constatar o nível de paciência se esgotando na relação entre torcida e técnico. O clima de tensão dentro do clube fica evidente, ainda mais depois daquilo que parecia impossível: a eliminação na primeira fase da Libertadores quando todos esperavam que o clube lutaria pelo título:

"A ansiedade atrapalha um pouco. O gol cedo do Coritiba tirou a tranquilidade. Foi um momento crítico. O adversário teve oportunidades, mas depois nos equilibramos emocionalmente e controlamos o jogo. Tivemos bola na trave, gol anulado e chegamos ao gol da vitória", admitiu o comandante.

O treinador, que vinha da conquista da Copa São Paulo de Futebol Júnior, foi confirmado no cargo em 2016 para ocupar o lugar de Muricy Ramalho, que recentemente admitiu que seu substituto conseguiu recuperar um trabalho que não era bom.