| Futebol

Wallace, recordista de jogos no "novo Maracanã", revê ex-clube sem mágoas

Jogador que mais atuou no estádio após a reforma, zagueiro diz que não foi titular no Timão por própria culpa e agradece a Luxa por mudança de perspectiva do Fla

Não é difícil notar a nostalgia de muitos torcedores quando se fala no "velho Maracanã". As grandes decisões, a geral, a atmosfera outrora considerada mais democrática, o povão. Mas é indiscutível o fato de que o "novo Maracanã" já coleciona bons episódios: finais da Copa das Confederações e Copa do Mundo, clássicos cariocas e regionais. O sentimento ligado ao futebol é o que permanece, talvez renovado a cada história. E quem já pode contar uma boa delas é o zagueiro Wallace, do Flamengo. Domingo, contra o Corinthians, seu ex-clube, ele faz o 35º jogo no estádio após a reforma: é o jogador que mais atuou nele na nova forma. (Assista à reportagem na íntegra em vídeo ao lado).

Fazer parte desta breve história é uma honra para o zagueiro, que não poderia, segundo ele, registrar tal momento com uma melhor maneira do que um clássico entre duas grandes torcidas, Flamengo e Corinthians. No Timão, Wallace não conseguiu se manter em uma sequência no time titular. A dupla campeã da campanha na Libertadores da América, em 2012, era Chicão - atualmente também no Rubro-Negro - e Leandro Castán. No Mundial, Chicão e Paulo André defenderam a camisa alvinegra.

Wallace, Flamengo Maracanã (Foto: Sofia Miranda)Wallace é o recordista de jogos no "novo Maracanã" (Foto: Sofia Miranda)


Apesar disso, Wallace prega a humildade e diz não guardar mágoas do ex-clube. Ele lembra que teve uma lesão no tornozelo, mas ressalta que poderia ter se cobrado mais e, consequentemente, rendido mais nos treinamentos e em campo.

- O culpado disso tudo fui eu. E ninguém mais. O único responsável por não ter essa sequência sou eu. Tive uma série de lesões também. Podia ter me cobrado mais, ter mais autocrítica, sabia que poderia render mais. O fato de eu ter escolhido o Flamengo foi realmente ter descoberto a alegria de jogar futebol novamente. Quando eu vim para cá, eu redescobri amigos. Encontrei o sentido de jogar futebol - disse o zagueiro.

No gramado do Maracanã, Wallace conquistou dois títulos com a camisa do Flamengo: Copa do Brasil e Campeonato Carioca. O lance crucial contra o Vasco, em que ele acerta o travessão antes de Márcio Araújo completar para o fundo das redes, é mais marcante na vida do zagueiro.

- Esses dois momentos foram muito importantes. Mas acho que, pelo jeito que foi o jogo com o Vasco, para mim foi mais marcante. Eu logo lembrei do Rondinelli. Essa final ficou registrada na memória. O gol é do Márcio Araújo (risos), mas eu tive participação. Da forma que foi, aos 46 do segundo tempo. Olhar a torcida do Flamengo e ver que eles ainda tinham fé naquela altura do jogo... Isso marca. Vem à lembrança aquele gol do Pet. Eu penso em muitas coisas.

O Flamengo vem de duas derrotas consecutivas no Campeonato Brasileiro - Grêmio e Goiás, ambas pelo placar de 1 a 0. Mas a situação não desanima o torcedor, que nos últimos dias fez filas nas bilheterias para o jogo com o Corinthians. Apesar dos resultados negativos recentes, a equipe vem de uma breve recuperação na competição, que a afastou da zona de rebaixamento, e uma grande classificação na Copa do Brasil. Wallace afirma que a chegada de Vanderlei Luxemburgo mudou completamente as perspectivas do time na temporada.

- O Vanderlei é o maior responsável por essa recuperação do Flamengo. Ele nos motivou, nos deu confiança, reacendeu a chama que estava apagada. E até o fato de ele ser flamenguista toca em alguns pontos que às vezes estão perdidos por um tempo. Todos os méritos dessa reabilitação nossa têm grande parcela dele. E que a gente possa continuar numa sequência boa. Isso ainda é muito pouco para o Flamengo.

A confiança em uma vitória domingo é grande. Perguntado sobre os perigos de enfrentar o ex-clube, Wallace cita um nome, mas ressalta a força da torcida rubro-negra.


Eu logo lembrei do Rondinelli. O gol é do Márcio Araújo (risos), mas eu tive participação. Da forma que foi, aos 46 do segundo tempo. Isso marca. Vem à lembrança aquele gol do Pet. Eu penso em muitas coisas 
Wallace, sobre gol do título carioca

- Renato Augusto. Temos que tomar cuidado. É um cara que finaliza muito bem de fora da área. O Guerrero também. Equipe bem compacta. Não podemos deixar espaços para eles. Sabemos que temos plenas condições de ganhar o jogo. Tenho certeza que o torcedor não sairá decepcionado. A torcida do Flamengo é única. É diferente mesmo. Já joguei no Vitória, no Corinthians. Mas é diferente. Estava aqui no jogo com o Grêmio e vi o que a torcida é capaz de fazer. Em nenhum momento para de apoiar. Tomara que domingo saia todo mundo satisfeito daqui - completou.

Flamengo e Corinthians se enfrentam neste domingo, no Maracanã, às 16 horas (de Brasília). O Rubro-Negro ocupa a 12ª colocação, com 25 pontos. Já a equipe paulista está em terceiro lugar, com 36.

*Texto de Sofia Miranda, estagiária, sobre reportagem de Marcelo Courrege para o Globo Esporte.

Comentar pelo Facebook

Leia também


Comentar pelo Site

Nenhum Comentário
Seja o primeiro a comentar essa notícia.