| Futebol

Zé reconhece que planejamento no Flamengo não parte dele: ‘Não depende de mim’

flameng - Zé reconhece que planejamento no Flamengo não parte dele: ‘Não depende de mim’

Mais ou menos experientes, os treinadores estão sempre no olho do furacão, especialmente no Flamengo. Com Zé Ricardo não é diferente, embora o jovem comandante ainda faça questão de sinalizar que as decisões no futebol do clube não dependem apenas dele.

Após o Jogo Extra mostrar que a diretoria pretende reformular parte da comissão técnica para tirar a sobrecarga do técnico, Zé Ricardo concedeu entrevista coletiva ontem e deixou claro o incômodo não só pela pressão causada pelos últimos resultados, mas por ter que admitir que tem pouca ajuda para tocar o dia a dia da equipe:

— As necessidades institucionais não passam pelo Zé Ricardo. Estou satisfeito com minha comissão. Se vier alguém de fora, subir mais alguém da base, vai ser para agregar, não dividir, tirar alguém. Não depende do Zé Ricardo. Passa pelas diretrizes de planejamento.

Diferente de outros treinadores mais experientes, Zé Ricardo trabalha com a comissão técnica permanente e não tem seus próprios auxiliares. A diretoria entendeu a sobrecarga e procura um profissional para se juntar a Jayme de Almeida.

Embora Zé Ricardo tenha sido responsável pelo bom desempenho do Flamengo no segundo semestre, ele reconhece que não disputar o título até o fim o frustrou. E, ao falar sobre o comprometimento nas rodadas finais, deixou no ar que tanto ele como os atletas precisam estar comprometidos com seus trabalhos, seja no Flamengo ou em outro lugar. A premiação pela conquista do segundo lugar, com a divisão entre o grupo de parte do pagamento da CBF (R$ 10,3 milhões), é outro incentivo:

— A direção sinalizar que vai dividir entre os atletas dá um algo a mais. Mas o profissional tem que se colocar independentemente disso. A vida vai continuar aqui no Flamengo ou fora, no meu caso é a mesma coisa.

De volta ao Maracanã, onde o time ainda não venceu este ano, o jovem treinador admite que está pressionado, embora seja o nome para comandar o clube em 2017:

— Está sendo difícil esta reta final. As vitórias não vieram e a gente acaba sofrendo pressão. Mas não pode apagar o que se construiu.

Fonte: http://extra.globo.com/esporte/flamengo/ze-reconhece-que-planejamento-no-flamengo-nao-parte-dele-nao-depende-de-mim-20543976.html

Comentar pelo Facebook

Leia também


Comentar pelo Site

Nenhum Comentário
Seja o primeiro a comentar essa notícia.