| Futebol

Zé recorda com carinho passagem rubro-negra por Chapecó: "Extremamente positiva"

Treinador falou aos jornalistas no auditório do CT

flameng - Zé recorda com carinho passagem rubro-negra por Chapecó: "Extremamente positiva"

Foto: Gilvan de Souza

Em entrevista coletiva concedida após o treino dessa sexta-feira (02) no CT George Helal, Zé Ricardo relembrou os bons momentos vividos durante a estadia da equipe em Chapecó antes da partida contra a Chapecoense. Do gesto feito pela diretoria do time catarinense em ceder seu centro de treinamento para os treinos rubro-negros ao contato com a população local, a palavra que resume tudo é gentileza.

Dentre diversos tópicos, o treinador falou sobre os momentos difíceis vividos, se solidarizando com todas as famílias atingidas por esse desastre. Os impactos na semana do Flamengo também foram comentados por Zé, desde a dificuldade de concentração nessa semana devido ao ocorrido até a programação da última rodada do Campeonato Brasileiro.

Veja os principais trechos:

Tragédia na Colômbia
É um momento muito triste, uma verdadeira tragédia. Nos solidarizamos bastante pela perda dessas 71 pessoas, com todos os seus familiares e amigos. É um alto grau de atingimento não só ao mundo do futebol, como também ao do jornalismo, com manisfestações no mundo inteiro. É um fato que ficará marcado em nossas vidas por muito tempo. Nossos sorrisos foram congelados essa semana. Não conseguimos nos concentrar 100% no trabalho, pois é impossível ficar alheio ao que aconteceu.

Passagem do Flamengo por Chapecó
Tive uma experiência pequena, mas positiva com relação à Chapecoense. Há algum tempo comentei que estava terminando a competição, até sobre a própria Chapecoense, pelo fato deles estarem nessa final da Sul-Americana. Fomos jogar lá na semana da nossa estreia nessa competição, contra o Figueirense no Orlando Scarpelli, e de lá fomos direto para Chapecó. Meu primeiro susto foi ao saber que faríamos nossa preparação no CT deles. Nos cederam o espaço de uma maneira muito carinhosa, então a primeira impressão foi extremamente positiva. Conhecendo a cidade e seu povo, o clube se mostrou muito diferente com relação à sua maneira de enxergar o futebol.

Contato com o ex-técnico da equipe catarinense
No dia da partida especificamente, estávamos no vestiário antes de começar o aquecimento e do vestiário da Chapecoense surgiu o Caio Júnior. Mesmo sem conhecê-lo pessoalmente, fomos um ao encontro do outro e ele me desejou boa sorte, me deu os parabéns por tudo o que vínhamos fazendo. Também o parabenizei por suas recentes conquistas no mundo árabe. Ele foi muito gentil e a recepção foi a melhor possível. Foi um papo curto, mas que percebia muita sinceridade em suas palavras. A partir desse momento ele ganhou mais um fã. Estávamos torcendo muito para a Chapecoense nessa final e, infelizmente, aconteceu tudo isso. Só tenho que parabenizar a Chapecoense por tudo que eles conseguiram e torcer para que eles se reergam o mais rápido possível, tão ou mais fortes do que estavam.

Manifestações ao redor do mundo
Cada um quis demonstrar seu carinho, sua solidariedade. Até repetindo uma frase da Madre Teresa de Calcutá: "Se você não tem alguma coisa grande a fazer, faça as pequenas mesmo, mas com muito amor." Fiz minhas orações com muita intencionalidade por todas essas pessoas que estão envolvidas diretamente. Se nós, que estamos fora desse núcleo do clube, sentimos muito o ocorrido, imagino todos eles. 

Semana de trabalho rubro-negra
Não sabemos ainda o que vai ocorrer exatamente, mas entendemos que as partes tenham seus motivos. Estamos procurando seguir nossa programação já que, a princípio, a partida está marcada para o dia 11. Vamos esperar para vermos o que vai acontecer. O Flamengo continua se preparando. Logicamente, essa semana tem sido um pouco mais difícil. Conversamos com os atletas e procuramos deixar todos mais à vontade para expressarem seus sentimentos de sua forma. Deixamos esses trabalhos com um conteúdo mais geral para podermos dar uma boa entrada na próxima semana. Programamos essas duas folgas para eles no sábado e no domingo para que possam estar com suas famílias, pois passou por todos nós essa possibilidade. Viajamos muito durante o ano. Só para mim, que cheguei no meio do ano, foram 68 partidas e aterrisagens. Após esse acontecimento, é impossível não nos imaginarmos nessa situação. 

Sequência no Brasileirão
Na terça-feira, cancelamos o treino assim que soubemos do ocorrido. Na quarta, tivemos um longo papo sobre respeitar o momento de cada um que não se sentisse à vontade para treinar. De maneira muito profissional, eles se colocaram à disposição para trabalhar. Só tenho que reconhecer toda força e caráter do nosso grupo, pois nesses três dias eles foram extremamente profissionais. Na semana que vem, esperaremos para ver o que vai acontecer. Não sei como funciona essa legislação, o que reza os interesses de A, B ou C. O fato é que vamos nos preparar para o caso de termos que jogar. Teremos um adversário de muita qualidade. No entanto, esse é um momento de prestar solidariedade a nossos atletas também, pois tiveram alguns que ficaram muito abalados com tudo que aconteceu.

Disputa pela segunda colocação
Isso fica em segundo plano nesse momento, até porque todos sentiram bastante. Obviamente que a partida exigirá de nós uma concentração muito grande, e espero que estejamos recuperados desse baque. Muitas homenagens acontecerão, prestaremos a nossa também, e, com a bola rolando, procuraremos defender nossa posição atual. Para isso, teremos que fazer uma partida com um nível muito alto. Mostramos durante a competição que temos condição de fazer este tipo de jogo.

Fonte: http://www.flamengo.com.br/site/noticia/detalhe/24591/ze-recorda-com-carinho-passagem-rubro-negra-por-chapeco-extremamente-positiva

Comentar pelo Facebook

Leia também


Comentar pelo Site

Nenhum Comentário
Seja o primeiro a comentar essa notícia.