• BICAMPEÃO DA LIBERTADORES
  • HEPTACAMPEÃO BRASILEIRO

Adriano revela que quase foi dispensado no Flamengo e conta como 'hora da resenha' foi decisiva ...

O Flamengo foi marcante na carreira de Adriano Imperador. Em texto publicado pelo site “The Players' Tribune”, o ex-jogador relembrou o início no clube, quando quase foi dispensado, e depois a passagem de 2009, com título brasileiro e quando, em suas palavras, voltou a “sentir alegria”.

Bem antes de ganhar o apelido que o marcou, Adriano afirma que era lateral na base rubro-negra. “Quando eu tinha 15 anos, o Flamengo ia me dispensar. Eu ia ser mandado embora. Mas quando Deus bota a mão, esquece...”, lembra.

“O problema era que eu jogava na lateral esquerda na época e estava crescendo muito rápido. Imagina? O Adriano na lateral esquerda? Então, no fim do ano, os treinadores reuniram todas as crianças e nos separaram em duas fileiras. Eles apontariam pra cada um e diriam: ‘Você, vai lá’. Fila da esquerda, você está dispensado. Agora, você fica. Eles apontaram pra mim. ‘Adriano, vai lá.’ A fila da esquerda. Adeus.”

“Mas, pela graça de Deus, enquanto eu caminhava em direção à saída, um dos treinadores gritou: ‘Ei, não, não, não. Adriano, não. Deixa ele aí’. Inacreditável, não? Quando Deus coloca a mão em nossas vidas, não tem explicação.”

Foi quando Adriano virou atacante e viu a carreira decolar. Em 2004, porém, sofreu um baque com a morte do pai, fato que, segundo ele, o fez perder a alegria pelo futebol. No retorno ao Flamengo, contudo, ele lembra que recuperou parte desse “prazer”.

play
1:13

Maracanã, a casa dos golaços de Adriano Imperador com a camisa do Flamengo

Adriano será o próximo homenageado na calçada da fama do Maracanã. O ex-jogador e ídolo do Flamengo recebeu a notícia na última segunda-feira (03) e compartilhou a emoção nas redes sociais.

“Quando voltei para o Rio para jogar pelo Flamengo, não queria mais ser o Imperador. Eu queria ser o Adriano. Eu queria ter prazer novamente. Vou contar a real sobre esse time do Flamengo: o grupo foi maravilhoso porque era de verdade.”

“Não era só eu não, cara. O grupo. Às vezes, a gente chegava para o treino não pelo futebol, mas pela resenha depois. Assim que o treino acabava – poom! –, hora de tomar um querosene. Hora da resenha. Direto para o Mercado Produtor. Todo o time. Até as esposas já sabiam: “Estaremos em casa à meia-noite!” Hahaha! ;-)”

“No treino do dia seguinte, se alguém estivesse cansado, o outro dizia: ‘Vou correr para você!’. E se um estava ferrado, o outro dizia: ‘Vou correr por ele. Deixa comigo!!!’. Sempre fizemos tudo juntos, cara. E vencemos. Demos um Brasileirão para o Flamengo depois de 17 anos. Foi especial.”

“Nunca fui completamente o mesmo depois que meu pai faleceu, mas naquela temporada eu realmente me senti em casa. Senti alegria novamente. Eu voltei a ser o Adriano.”

play
0:56

A impecável reestreia de Adriano no futebol brasileiro; você lembra?

Em 2008, pelo Campeonato Paulista, o "Imperador" comandou a vitória de virada do São Paulo sobre o Guaratinguetá com dois golaços de canhota

Publicado em www.espn.com.br.