Na despedida do volante Gerson, o Flamengo se provou ainda como um dos melhores times do Brasil. Foi melhor que o Fortaleza e venceu por 2 a 1, nesta quarta-feira, no Maracanã, espantando a derrota de última hora para o líder Bragantino, que bateu o Palmeiras por 3 a 1.

Com o resultado, o Flamengo vai a 9 pontos e está na sétima colocação. O Fortaleza tem 11 pontos e está em terceiro lugar.

Leia mais: 'Se despedir das coisas e das pessoas que você ama é uma das coisas mais difíceis', diz Gerson em seu último jogo pelo Flamengo

Porém, o time de Rogério Ceni sente a falta das principais peças. No momento, não conta com Isla e Arrascaeta, nas seleções do Chile e do Uruguai, respectivamente, e Gabigol e Everton Ribeiro, que estão no time brasileiro. A partir de hoje também não terá mais Gerson, um dos melhores e mais consistentes jogadores do meio-campo. O volante vai defender o Olympique de Marselha, da França, após uma negociação de 25 milhões de euros. Extremamente emocionado, ele agradeceu à família rubro-negra da qual fez parte nos últimos dois anos.

A saída de Gerson abre uma importante lacuna que Ceni terá de resolver o quanto antes. O volante conferia vigor físico e técnica apurada na condução da bola ao time. Ontem, não fez um dos seus jogos mais brilhantes pelo Flamengo, mas não fosse o goleiro Felipe Alves teria se despedido com um gol à queima-roupa e o último “vapo”, sua marca registrada nas comemorações.

Do vácuo ao vapo:a transformação de Gerson, que se despede do Flamengo

Bruno Henrique, porém, tratou de resolver o problema de momento. Em um lance de oportunismo e talento, ele colocou o Flamengo à frente no placar. Primeiro, roubou a bola de um desatento Felipe dentro da área, limpou o lance e chutou rasteiro para abrir o placar. Na comemoração, todo o time homenageou Gerson com o gesto do “vapo”.

Mesmo com o Flamengo sem a formação ideal, o esquema de jogo de Ceni conseguiu bloquear o até então invicto Fortaleza, sobretudo no primeiro tempo.

Com a pressão na saída de bola do clube cearense, a equipe empurrou o adversário para o seu campo de defesa. A tática funcionou e as chances surgiram, sobretudo nos erros da zaga e do goleiro Felipe Alves. Depois do gol de Bruno Henrique, Vitinho e Michael perderam suas chances — uma delas na cara do goleiro.

Mas na ausência de Gabigol e numa noite apagada de Pedro, que retornou ao time após se recuperar da Covid-19 e se irritou ao ser substituído no segundo tempo, Bruno Henrique tomou a responsabilidade para si. No fim do primeiro tempo, Pedro lançou o atacante, que avançou livre de marcação e fez o segundo gol após a bola desviar na zaga.

A proposta de jogo do Flamengo se viu ameaçada pela mudança de postura e de jogadores do Fortaleza no intervalo. Foram precisos apenas 15 segundos para o time tocar a bola com precisão e David diminuir.

Com mais qualidade técnica, o Flamengo, desta vez, soube segurar o resultado e até teve chances de ampliar. Agora, Ceni terá de achar o substituto de Gerson. Thiago Maia é uma das opções, mas terá de recuperar a forma física após mais de seis meses longe dos gramados.

Contratado no início do ano passado, o volante sofreu séria lesão de ligamento no joelho no fim de 2020 e operou em dezembro. Ele voltou aos treinamentos recentemete e ficou no banco de reservas nesta quarta-feira. Resta saber se, neste primeiro momento, Ceni já contará com o jogador, sem ritmo, para ser titular.