Comentarista define vitória do Fluminense sobre o Flamengo como ‘massacre’

Comentarista define vitória do Fluminense sobre o Flamengo como ‘massacre’

O Flamengo perdeu para o Fluminense na última quinta-feira (14) por 1 a 0, no Maracanã. Luciano marcou para o rival aos 47 do segundo tempo, garantindo a vaga na final da Taça Guanabara para o Tricolor. O jornalista Mauro Cézar analisou a partida no programa Linha de Passe, da ESPN, e definiu a vitória como um ‘massacre’. Ele também  elogiou o trabalho de Fernando Diniz, dizendo que foi a ‘grande noite’ do treinador.

Para Mauro Cézar, o Flamengo não criou nenhuma jogada e ‘não existiu no ataque’. O comentarista também explicou o porquê se fala muito em dinheiro nesse momento.

– A disparidade econômica é muito grande. O Fluminense é um clube com dívidas, sem receita, múltiplos problemas, se desfez de jogadores no final de 2018. Jogou uma cartada em um técnico que apresenta algo fora da ‘mesmice’ do futebol brasileiro. Ele teve sua grande noite como treinador de futebol. O Fluminense, embora seja um grande clube, hoje, é um time limitado, que dominou completamente o jogo. Seu adversário (Flamengo) é um time milionário. 

Ele ainda disse que o gol do Fluminense aconteceu em uma ‘bobagem’ do Arrascaeta e criticou as mudanças feitas pelo técnico Abel Braga. Mauro Cezar também ressaltou que o jogo feito pelo Flamengo no contra-ataque irrita a torcida e fere a cultura do clube.

– Eu defino o jogo da seguinte maneira: foi uma derrota do futebol e uma vitória da covardia. Da covardia das ideias ultrapassadas. Abel Braga, que tanto reclamou quanto estava no Fluminense que não tinha muitas opções, agora mudou. E o que aconteceu? Ele foi devorado pelo Fernando Diniz. Foi um massacre.