• BICAMPEÃO DA LIBERTADORES
  • HEPTACAMPEÃO BRASILEIRO

Diego Alves revela artimanha nas penalidades e como faz para desestabilizar o adversário

Na segunda conquista consecutiva da Supercopa do Brasil do Flamengo, Diego Alves foi o grande protagonista. Com a decisão indo para as penalidades após empate no tempo normal com o Palmeiras em 2 a 2, o arqueiro, conhecido como especialista no fundamento, ficou com toda responsabilidade. Principalmente na cobrança de Danilo, que poderia dar o título ao adversário quando estava 3 a 1. O camisa 1 revelou suas artimanhas para desestabilizar o batedor.

Apoie o Mengão! Camisa e outros produtos oficiais em promoção

A situação é que você tem que usar todas as armas no momento ali. Eu encaro o pênalti como uma guerra psicológica. Quem está mais tranquilo consegue vencer esse duelo. Eu fiquei muito concentrado e chegou um momento que ele (Danilo) não dava o passo para começar a correr. Eu pensei: “Estou achando que ele quer me desestabilizar. Então pera, vamos zerar e começar tudo de novo”.

Diego Alves revelou ainda o que falou para o árbitro da partida, Leandro Vuaden e de como o tempo é determinante neste momento para o batedor de pênalti.

Dei um passo pra frente e falei pro Vuaden: “Ele está demorando muito, eu nunca vi isso, não é assim”. Automaticamente já gerou o ambiente um pouco mais desfavorável pra ele. A gente tenta usar de todas as munições. Ali era o último pênalti. Quanto mais o tempo passa, acredito que seja mais difícil para o cobrador —, finalizou em entrevista a ESPN.

Com três cobranças defendidas, o goleiro ajudou o Flamengo a virar o marcador e fechar a disputa de pênaltis em 6 a 5. Em 2020, ainda com Jorge Jesus no comando, Diego Alves conquistou a primeira Supercopa, em partida disputada com o Athletico-PR, também no Mané Garrincha. Com isso, o “Paredão” acumula também a conquista de dois brasileiros, uma Libertadores e Recopa Sul-Americana com o Manto Sagrado entre os títulos principais.

Publicado em colunadofla.com.