Dividido, Kleberson agradece por trajetórias rubro-negras e aponta favoritismo do Flamengo: “Pelos jogadores que tem”

Dividido, Kleberson agradece por trajetórias rubro-negras e aponta favoritismo do Flamengo: “Pelos jogadores que tem”

Kleberson foi protagonista em poucos momentos da carreira. O meia fez história no futebol: bicampeão brasileiro, campeão inglês, pentacampeão mundial. O meia se firmou como jogador útil e passou por gigantes do futebol mundial. Depois de começar no Athletico e conquistar o mundo em 2002 com a Seleção Brasileira, jogou no Manchester United, se aventurou na Turquia e voltou ao Brasil para defender o Flamengo em 2008. Nesta quarta-feira (10), o “Penta” está dividido. Torce para o clube paranaense, mas reconhece o favoritismo do Mais Querido.

Em entrevista para o Globoesporte.com, Kleberson revisitou a carreira. Campeão brasileiro pelos dois lados, ficou em dúvida sobre qual escolher. Porém, acabou optando pelo time onde criou raízes.

Nossa, essa aí (risos)… Tenho boas histórias nos dois clubes. Respeito muito o Flamengo. Mas o Clube Athletico Paranaense é um clube por quem tenho um carinho muito grande, pela história que vivi desde o começo. É o clube que me revelou. E é para quem vou estar torcendo nesse jogo -, disse.

O meia, porém, assumiu a dificuldade para escolher um lado. E, no fim das contas, admitiu que o Flamengo é favorito.

Muito difícil. Imagina você se separando em duas partes. É como me sinto hoje. Tenho carinho e respeito pelo Athletico, gratidão ao clube. Mas, como você lembrou, vivi momentos profissionais mais longos no Flamengo. Quando eu estava subindo, era aquela euforia de chegar ao profissional e a um título. No Flamengo eu já era profissional, queria recuperar meu futebol. Então, são duas histórias muito parecidas. O mais importante é que são histórias com final feliz. Tenho muito respeito pelas duas equipes, torço sempre por elas. Mas quando as duas jogam uma contra a outra, sempre é um momento difícil para mim, sempre uma dor no coração. Mas nunca escondi de ninguém meu carinho pelo Athletico Paranaense. É um grande duelo. O Athletico Paranaense vem numa campanha muito sólida. O Flamengo vem com uma troca de gestão, um novo treinador. Comparando as duas equipes, como observador do futebol e por eu ter passado pelas duas, o Flamengo chega com um favoritismo para essa reta final da Copa do Brasil. Pelos jogadores que tem, pelas peças que pode usar nessa competição e nesse jogo de mata-mata. E sei que, quando são jogos assim, a tendência é o Flamengo crescer – declarou.

Kleberson iniciou a carreira no Athletico e foi primordial no elenco que conquistou o título brasileiro em 2001. O meia disputou a Copa do Mundo pelo Brasil em 2002 e virou titular durante a competição, sendo apontado como um dos destaques da final contra a Alemanha. Contratado a peso de ouro pelo Manchester United, foi apresentado como grande craque ao lado de uma promessa – Cristiano Ronaldo. Não se firmou na Inglaterra e foi parar no Besiktas, da Turquia. Em 2008, foi contratado pelo Flamengo. Além de marcar os dois gols no 2 a 2 com o Botafogo na final do Campeonato Carioca – jogo que garantiu o Tri sobre o rival. Participou do Hexa no mesmo ano e foi escolhido para sua segunda Copa do Mundo no ano seguinte. Depois, jogou no Bahia e no futebol dos EUA. Em 2017, se aposentou e passou a se dedicar aos cursos para a carreira de treinador.

Kleberson foi protagonista em poucos momentos da carreira. O meia fez história no futebol: bicampeão brasileiro, campeão inglês, pentacampeão mundial. O meia se firmou como jogador útil e passou por gigantes do futebol mundial. Depois de começar no Athletico e conquistar o mundo em 2002 com a Seleção Brasileira, jogou no Manchester United, se aventurou na Turquia e voltou ao Brasil para defender o Flamengo em 2008. Nesta quarta-feira (10), o “Penta” está dividido. Torce para o clube paranaense, mas reconhece o favoritismo do Mais Querido.

Em entrevista para o Globoesporte.com, Kleberson revisitou a carreira. Campeão brasileiro pelos dois lados, ficou em dúvida sobre qual escolher. Porém, acabou optando pelo time onde criou raízes.

Nossa, essa aí (risos)… Tenho boas histórias nos dois clubes. Respeito muito o Flamengo. Mas o Clube Athletico Paranaense é um clube por quem tenho um carinho muito grande, pela história que vivi desde o começo. É o clube que me revelou. E é para quem vou estar torcendo nesse jogo -, disse.

O meia, porém, assumiu a dificuldade para escolher um lado. E, no fim das contas, admitiu que o Flamengo é favorito.

Muito difícil. Imagina você se separando em duas partes. É como me sinto hoje. Tenho carinho e respeito pelo Athletico, gratidão ao clube. Mas, como você lembrou, vivi momentos profissionais mais longos no Flamengo. Quando eu estava subindo, era aquela euforia de chegar ao profissional e a um título. No Flamengo eu já era profissional, queria recuperar meu futebol. Então, são duas histórias muito parecidas. O mais importante é que são histórias com final feliz. Tenho muito respeito pelas duas equipes, torço sempre por elas. Mas quando as duas jogam uma contra a outra, sempre é um momento difícil para mim, sempre uma dor no coração. Mas nunca escondi de ninguém meu carinho pelo Athletico Paranaense. É um grande duelo. O Athletico Paranaense vem numa campanha muito sólida. O Flamengo vem com uma troca de gestão, um novo treinador. Comparando as duas equipes, como observador do futebol e por eu ter passado pelas duas, o Flamengo chega com um favoritismo para essa reta final da Copa do Brasil. Pelos jogadores que tem, pelas peças que pode usar nessa competição e nesse jogo de mata-mata. E sei que, quando são jogos assim, a tendência é o Flamengo crescer – declarou.

Kleberson iniciou a carreira no Athletico e foi primordial no elenco que conquistou o título brasileiro em 2001. O meia disputou a Copa do Mundo pelo Brasil em 2002 e virou titular durante a competição, sendo apontado como um dos destaques da final contra a Alemanha. Contratado a peso de ouro pelo Manchester United, foi apresentado como grande craque ao lado de uma promessa – Cristiano Ronaldo. Não se firmou na Inglaterra e foi parar no Besiktas, da Turquia. Em 2008, foi contratado pelo Flamengo. Além de marcar os dois gols no 2 a 2 com o Botafogo na final do Campeonato Carioca – jogo que garantiu o Tri sobre o rival. Participou do Hexa no mesmo ano e foi escolhido para sua segunda Copa do Mundo no ano seguinte. Depois, jogou no Bahia e no futebol dos EUA. Em 2017, se aposentou e passou a se dedicar aos cursos para a carreira de treinador.