“É um processo que está sendo feito de forma lenta e gradual”, afirma Landim, sobre custos do Maracanã

“É um processo que está sendo feito de forma lenta e gradual”, afirma Landim, sobre custos do Maracanã

O Flamengo assinou, junto ao Governo do Estado do Rio de Janeiro, concessão para gerir – ao lado do Fluminense – o Estádio do Maracanã, por 180 dias, prorrogáveis por igual período. Desde o dia 19 de abril, portanto, o clube vem trabalhando constantemente para alavancar melhorias e ajustar valores, como forma de minimizar custos e aumentar o lucro quando realizar suas partidas.

Em entrevista ao blog Bastidores FC, do portal globoesporte.com, o presidente Rodolfo Landim declarou que a redução de custos é uma das principais metas da diretoria, apesar do processo não ser tão veloz como gostaria.

A gente tem trabalhado nesse sentido, alguns contratos já conseguimos otimizar alguma coisa, mas esse é um processo que está sendo feito de forma lenta e gradual. A meta é ao longo dos seis meses que são prorrogáveis por mais seis meses. Não é um período muito longo, mas isso vai nos permitir ter um sentimento melhor dos custos envolvidos, da dificuldade de operação, para que a gente possa até em uma condição mais favorável participar da licitação definitiva que o governador do Estado falou que pretende fazer dentro de um ano.

Landim também afirmou que, neste momento, o Maracanã não pensa em trocar seus fornecedores, mesmo com a notícia de que um deles, a Food Team – abastecedora dos bares – teve seu sigilo fiscal quebrado pela Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), por falta de emissão de notas fiscais. Porém, segundo o presidente, “não significa que permanecerão ao longo de todo o período que estamos operando, mesmo nessa primeira fase.”

Clique aqui e faça parte do nosso canal do Telegram e receba todas as notícias em tempo real.