• BICAMPEÃO DA LIBERTADORES
  • HEPTACAMPEÃO BRASILEIRO

Em meio a imbróglio sobre saída, Muniz tem chance de aplicar ‘lei do ex’ contra o Coritiba

Ao longo dos últimos anos, o Flamengo montou um elenco bastante qualificado para a disputa das competições. Porém, atletas das categorias de base também têm recebido espaço, como é o caso de Rodrigo Muniz. Na temporada de 2020, o centroavante chegou a ser emprestado para o Coritiba, onde ficou por cerca de 40 dias, até Rogério Ceni pedir o retorno do jogador. Agora, o jovem atacante terá a chance de aplicar a lei do ex contra o clube paranaense.

 

Por conta da viagem desgastante da Sérvia – onde estava defendendo a Seleção Olímpica – para o Brasil, Pedro não foi relacionado para o jogo de logo mais. Gabriel Barbosa, por sua vez, não se reapresentou ao Flamengo. Por isso, Rodrigo Muniz deve ser o titular na noite desta quinta-feira (10), contra o Coritiba, às 19h (horário de Brasília). O duelo é válido pela partida de ida da terceira fase da Copa do Brasil e será disputado no Couto Pereira.

O centroavante de 20 anos, no entanto, vive um imbróglio nos bastidores do Ninho do Urubu. O Genk, da Bélgica, fizera proposta pelo jogador e acertou todos os detalhes com o Flamengo. A transação seria concretizada por 5 milhões de euros (cerca de R$ 30 milhões na cotação atual). Porém, Rodrigo Muniz recusou o salário proposto, esfriando assim a negociação. O clube belga, contudo, já comunicou aos representantes do atleta que aumentará a oferta dos vencimentos do camisa 43.

A rápida passagem de Rodrigo Muniz foi importante para pegar rodagem e experiência. Isso porque, na época, o clube paranaense disputava a primeira divisão do Campeonato Brasileiro – agora está na Série B. Pelo Coxa, o jogador disputou seis jogos e balançou as redes em uma oportunidade. No Flamengo, por sua vez, o centroavante já atuou, até então, em 22 partidas e marcou seis tentos.

Publicado em colunadofla.com.