Após idas, vindas, um quase acerto com a Amazon e a aprovação do Conselho Deliberativo, o Flamengo apresentou oficial o Banco BRB como o seu novo patrocinador master. A coletiva virtual aconteceu nesta quarta-feira, na Gávea, e firmou o vínculo válido pelos próximos três anos.

O presidente do clube, Rodolfo Landim, esteve ao lado vice-presidente de comunicação e marketing, Gustavo Oliveira, e o presidente do Banco BRB, Paulo Henrique Costa, que destacou a "parceria histórica" para o futebol brasileiro.

— Nossa saudação muito especial a toda a Nação Rubro-Negra. Com imenso orgulho que a gente trata de uma parceria comercial e estratégica visando um banco digital e um conjunto de produtos exclusivos desde cartões, conta corrente, produtos de crédito e um conjunto de ações de relacionamento para aproximar ainda mais essa torcida fantástica de um clube tão querido. Uma parceria história, inédita. Nenhum outro clube de futebol tem uma parceria desse tamanho em que unimos nossas forças e dividimos todos os resultados ao longo dessa caminhada. Agradecemos o voto de confiança. Uma fonte perene e de longo prazo de recursos para o Flamengo, para que continue a ser o maior e melhor time de futebol do Brasil, com a maior torcida do mundo — afirmou Paulo Henrique.

O Banco BRB pagará R$ 32 milhões para ocupar o espaço de patrocínicio master da camisa pelos próximos três anos, com cláusulas que podem aumentar este valor, segundo o presidente Rodolfo Landim.

— É difícil falar nesse momento (o valor anual), temos uma série de produtos que estamos desenvolvendo. O que podemos dizer a vocês é que o Flamengo tem a garantia de um mínimo de R$ 32 milhões, mas temos um plano de negócios e à medida que esses produtos chegam ao mercado a ideia é que essas receitas possam ir aumentando. Diria algo realista, não otimista, R$ 50 milhões por ano em 3 anos. Espero um resultado positivo, mais surpreendente ainda, para que a gente possa ter valores ainda maiores — declarou.

O martelo foi batido após votação no Conselho Deliberativo do clube, finalizada na última segunda-feira, que aprovou o contrato com a empresa estatal. Em nota divulgada, o clube encerrou as apurações "com recorde de votantes". Foram 1.115 votos a favor, 31 contra e uma abstenção.

Assim, o BRB deve fazer a sua estreia no uniforme rubro-negro já contra o Boavista, no dia 1º de julho. O Banco BRB já patrocina o Flamengo desde julho de 2019, mas estampava a sua marca apenas na equipe de basquete do Rubro-Negro.

Veja a coletiva na íntegra:

  • Negociações

Rodolfo Landim: "Começou de fato no ano passado numa visão muito focada em patrocínio, mas as discussões começaram a evoluir em março para outro conceito, de parceria. Aproveitar a lealdade do nosso torcedor para desenvolver produtos. Esse conceito evoluiu e agora estamos muito felizes de poder assinar esse contrato".

Paulo Henrique Costa (BRB): "A questão chave é o engajamento da torcida. A gente fechou um contrato que não tem limite. Existe um plano de negócios base e a gente acha que vai superar".

  • Valores

Gustavo Oliveira: "Esse é o dinheiro mínimo que o Flamengo vai receber. Mas a gente acredita que será muito mais. Não só a gente acredita, o mercado acredita. As ações do banco valorizaram 64% depois da assinatura do contrato. Hoje o banco vale R$ 1,2 bilhão a mais do que antes de assinar com o Flamengo. O mínimo garantido vai ficar muito para trás. Não teremos de devolver dinheiro caso os resultados não cheguem a R$ 96 milhões em 3 anos".

  • Aposta

Paulo Henrique Costa (BRB): "Os valores não comparáveis. Pode se tornar uma empresa mais na frente e trazer um ativo muito grande para o Flamengo. A gente acredita que existe um espaço para ter um banco digital diferenciado, exclusivo para os 40 milhões de torcedores do Flamengo. A gente entende que esse modelo não existe no mercado hoje. E claro que o BRB vai atingir um outro patamar. O BRB quer se expandir no território nacional, então nada melhor que ter um parceiro como o Flamengo".

  • Amazon

Rodolfo Landim: "O que a gente está buscando e concluindo nesse contrato é uma parceria comercial. E o que nos foi oferecido e discutido com a Amazon, isso sim era um contrato de patrocínio. O que a gente fez foi evoluir pura e simplesmente de um patrocínio para um contrato de parceria, tentando envolver toda a massa de torcedores para buscar mais resultado. Isso não impede que tenhamos contatos com a Amazon para desenvolver produtos no futuro. Mas como proposta de negócio, a proposta do BRB foi muito muito melhor".

  • Receita

Rodolfo Landim: "O Flamengo tem como previsão de custos operacionais com o futebol 230 milhões esse ano. Estamos falando de uma receita muito importante para o Flamengo, mas obviamente não é suficiente. O Flamengo vai precisar continuar contando com o apoio do sócio-torcedor, da sua torcida quando reabrir, das parcerias, transmissão, obviamente precisa de tudo isso para manter um equilíbrio entre nossas receitas e despesas".

  • Estratégia

Gustavo Oliveira: "A gente está dando um passo de uma caminhada longa. Nesse primeiro momento já tem um comunicado com o BRB, o Flamengo já está divulgando nas redes sociais, mas para esse jogo de hoje não há nenhuma ação pontual. O time já entra com essa camisa, vamos ter a marca do backdrop, ou seja, a marca vai estar fortemente presente no jogo, mas não existe nenhuma ação específica".

  • Sócios

Rodolfo Landim: "A gente espera que com a volta do futebol a gente volte a ter no mínimo o mesmo número do ano passado, até porque a expectativa esportiva é a mesma, com um time reforçado. Mas junto com o BRB certamente vamos desenvolver algo nesse sentido envolvendo os nossos sócios-torcedores. Criar uma plataforma de relação direta com nossos torcedores com uma grande quantidade de produtos para ofertar. A ideia é envolver muito os nossos sócios-torcedores e outros torcedores também, independente de serem sócios".

Gustavo Oliveira: "Queria fazer um agradecimento ao sócio-torcedor durante a pandemia. A queda não foi tão grande assim quanto estão dizendo. Quero agradecer a lealdade, dá para sentir a paixão desse pessoal. O sócio-torcedor será priorizado nessa volta e outras ações que estamos desenvolvendo".