A provável presença do presidente Jair Bolsonaro no Mané Garrincha não é a única que representa a volta do público aos estádios de futebol em torneios entre clubes no Brasil.

O Flamengo convidou também o governador do Rio, Cláudio Castro, para acompanhar a operação na partida contra o Defensa y Justicia, pela Libertadores, que teve carga de 18 mil ingressos vendida.

A intenção já em debate é obter apoio para a liberação parcial da torcida também no Maracanã. Não apenas no possível jogo das quartas de final da competição da Conmebol, como também pelo Brasileiro e Copa do Brasil.

A CBF projeta jogos-piloto com público a partir das quartas de final, no fim de agosto.

Mas o Flamengo enfrenta a resistência principalmente da Prefeitura do Rio. O clube fez recentemente a solicitação de liberação do Maracanã depois que o estádio foi palco para convidados na final da Copa América.

As secretarias de saúde do Estado e do Município ainda não aprovaram a medida, que preveria de 10% a 25% do público no Maracanã, de 7 a 18 mil presentes.