O drama vivido pelo Flamengo em função do surto de Covid-19 no clube, que atingiu 16 atletas, trará mais prejuízo na quarta rodada da Libertadores do que no domingo, contra o Palmeiras, pelo Brasileiro.

E para a competição sul-americana, o clube descarta até o momento qualquer pedido de adiamento. A situação é delicada pois, dos 34 atletas inscritos, apenas 12 estão aptos para o jogo contra o Independiente Del Valle, dia 30.

César, João Lucas, Ramon, Natan, Noga, Thiago Maia, Gerson, Arrascaeta, Guilherme Bala, Rodrigo Muniz, Lincoln e Pedro. No total, o clube enviou 34 atletas na lista antes da retomada da competição.

Entenda como o Flamengo afrouxou protocolo no Equador e gerou surto de Covid-19

A Conmebol permitia até 50 inscritos. E o acréscimo de até 10 jogadores na volta do torneio. Mas apenas até a data de número quatro, exatamente o jogo contra o Barcelona, no Equador.

Pelo regulamento, os novos nomes deveriam ser enviados até o dia 18 de setembro. O Flamengo ainda estuda o que fazer sobre isso. A torcida é pela recuperação dos atletas que testaram positivo a menos de 10 dias do jogo.

Os sete jogadores confirmados pelo clube inicialmente no Equador - Diego, Isla, Bruno Henrique, Michael, Matheuzinho, Filipe Luís e Vitinho precisam apresentar teste negativo com prazo de até 10 dias.

O que vai ser fundamental é o exame pré-jogo trazer esse cenário. Ele é feito 48 horas antes da partida. Portanto, na próxima segunda-feira. O Flamengo voltará a testar seus atletas nesta sexta-feira, para o Brasileiro.

A situação foi vivida pelo Boca Juniors recentemente. O clube tinha 18 positivos. Depois, o exame ainda permaneceu positivo para alguns, mas haviam se tinha passado mais de 10 dias desde o diagnóstico. Com isso, a Conmebol autorizou a participação. O Libertad, do Paraguai, adversário dos argentinos, reclamou após derrota no Paraguai.