• BICAMPEÃO DA LIBERTADORES
  • OCTACAMPEÃO BRASILEIRO

Flamengo volta aos ‘eixos’ e trilha caminho para hegemonia no futebol

Podemos dizer, com toda a certeza, que o técnico português Jorge Jesus, em apenas um ano, conseguiu colocar o Flamengo sob os holofotes do futebol mundial. Com uma equipe milionária, vários recordes foram quebrados, além de acabar de vez com um triste tabu de 38 anos sem vencer uma Copa Libertadores da América.

Com uma equipe qualificada, o Flamengo trouxe de volta o futebol vistoso que estávamos habituados a ver há alguns anos e isso encantou não só os flamenguistas, como também o público em geral.

Os resultados foram surpreendentes como podemos observar a seguir. Nem mesmo os site de apostas futebol esperavam tamanha hegemonia no futebol nacional. Os apostadores tinham dificuldades em acertar suas apostas em outros times, pois o rubro-negro ganhava tudo.

Em apenas um ano de trabalho de Jorge Jesus o Fla teve o seguinte desempenho:

E os títulos empilharam:

Após a saída do português o Flamengo contratou o espanhol Domenec Torrent, que chegou a ser o auxiliar de Pep Guardiola em três grandes equipes do futebol europeu: Barcelona, Bayern de Munique e Manchester City.

O catalão acabou tendo uma passagem relâmpago pelo time carioca, sendo contratado no final de julho e demitido no início de novembro. Os resultados e a atuação não correspondiam ao que a diretoria e a torcida desejavam. Logo se percebeu que a substituição de Jorge Jesus não seria uma tarefa fácil.

A seguir foi a vez de Rogério Ceni, que havia feito um excelente trabalho na equipe do Fortaleza.

Apesar dos títulos do Brasileirão e do Campeonato Carioca, a equipe não desenvolvia o futebol bonito e agressivo da época do técnico português. Juntando a isso a dificuldade de Ceni em lidar com uma equipe recheada de estrelas e, claro, de vaidades. Talvez o ex-goleiro não estivesse preparado ou mesmo amadurecido o bastante para comandar equipes de tão grandes e complexas.

As coisas mudaram e o nome escolhido foi o de Renato Portaluppi, um técnico capacitado e ao que parece destinado a dirigir uma equipe complexa como o Flamengo.

Renato Gaúcho sonhava em dirigir o Flamengo e isso parece que afetou de imediato seu elenco, com a equipe voltando a jogar com confiança e mostrando um futebol alegre e bem objetivo. O São Paulo que o diga, ao sofrer uma derrota arrasadora por 5×1 da equipe rubro-negra.

Como o elenco não mudou tanto desde 2019, é de se esperar que a hegemonia em campo volte a ser como foi naquele ano iluminado. A diferença no Campeonato Brasileiro para o Palmeiras é grande, mas é reversível. Na Copa do Brasil e na Libertadores está tudo em aberto e o Flamengo é o favorito nas casas de apostas para a conquista continental, com odd de 3,5 contra mais de 5 de River Plate, Palmeiras e Atlético-MG.

Mas mais importante que isso, o Flamengo pode manter seu domínio por anos por causa de seu poderio financeiro. Apesar da pandemia ter sido um baque pela perda de bilheteria e sócio-torcedor, a fonte de renda com vendas de jogadores, produtos licenciados, direitos de televisão e premiações ainda deixa o Fla lá em cima no faturamento.

Com a volta da torcida aos estádios que deve acontecer ainda em 2021, essa distância para os concorrentes só irá aumentar. Com isso as contratações, que deram uma parada no último ano, também podem voltar.

Se no cenário local não há rivais, com Botafogo e Vasco passando pelo inferno da segunda divisão e dívidas e o Fluminense está reconstruindo, no cenário nacional também é difícil encontrar rivais. O Palmeiras em São Paulo e o Atlético-MG em Belo Horizonte parecem ser os dois ossos mais duros de roer.

Ou seja, parece que o bonde voltou para o trilho. A manutenção de um elenco com egos lá em cima é sempre difícil, mas Renato Gaúcho parece ser a pessoa certa para isso, já que também tem uma personalidade marcante e sabe conversar a língua do boleiro. A torcida tem razão para ficar empolgada e pode manter esse ânimo pelos próximos anos.

Publicado em colunadofla.com.