Jornalista não ameniza declaração de diretor do Flamengo: “Mostra a bagunça interna do clube”

Jornalista não ameniza declaração de diretor do Flamengo: “Mostra a bagunça interna do clube”

A derrota por 2 a 1 para o Atlético-MG, ocorrida no último sábado (18), trouxe dias instáveis para o Flamengo. Na segunda-feira (20), os muros da Gávea e do Ninho do Urubu amanheceram pichados. Ao analisar a ação, o diretor de relações externas do clube, Cacau Cotta, afirmou que seria um ato político, por conta da forma que as palavras foram escritas. Depois, Cacau se justificou, alegando que jamais desvalorizaria a torcida rubro-negra. Porém, para a jornalista Renata Mendonça, a justificativa não amenizou a declaração original do dirigente.

Mostra um pouco dessa bagunça interna do Flamengo. A própria nota divulgada três semanas atrás, nem todo mundo concordava. E logo na primeira frase exaltava a conquista da Florida Cup. Você pode até apurar internamente se é político ou não, mas um diretor de relações externas deveria se relacionar com a torcida de maneira mais respeitosa. Acho que a torcida não foi tratada com respeito. Não tem outra interpretação que caiba ali. Até porque, se tivesse, o Flamengo teria se manifestado. Eu acho que essas atitudes, tanto essa quanto a da nota, mostra um pouco o afastamento dos dirigentes da vida do torcedor -, disse ela em participação no “Redação SporTV”.

Apresentador do programa, Marcelo Barreto também opinou sobre o assunto. Segundo ele, a declaração de Cacau mostra o verdadeiro pensamento que a diretoria rubro-negra tem em relação aos torcedores do clube, destacando ainda que ações assim costumam vir de rivais.

– Não dá para contemporizar. O que a gente tem para entender disso é que o diretor acha que o torcedor do Flamengo não é capaz de escrever a palavra Mickey. Ele traz para o Flamengo uma satirização feita pelos rivais, que dizem que por ser um clube popular é iletrado. Será que a diretoria do Flamengo acredita nisso? -, analisou Barreto.