• BICAMPEÃO DA LIBERTADORES
  • HEPTACAMPEÃO BRASILEIRO

Mauro relembra 7 a 1 para a Alemanha e vê decadência do futebol nacional ‘até 2019’, antes da chegada de Jorge Jesus

Por conta das últimas participações em Copas do Mundo, o futebol brasileiro perdeu um pouco do prestígio que tinha. Após assistir a reprise do jogo entre Brasil e Alemanha, na Copa de 2014, Mauro Cezar afirmou que não foi um jogo fora da curva. Para o comentarista, as chegadas de Jorge Jesus e Sampaoli foram fundamentais para elevar o nível nacional.

– Não é um jogo que seja um ponto fora da curva, ele é a sequência de atuações ruins que vinham lá de trás, toda a Copa do Mundo e até antes. E a forma como o Brasil é trucidado, a diferença técnica e a diferença do jogo coletivo, não havia jogo coletivo, é uma coisa medonha, é uma coisa horrorosa, uma vergonha a seleção brasileira ter se apresentado uma vez na sua história jogando daquela maneira, ainda mais numa semifinal de Copa do Mundo em casa –, disse durante o Podcast Posse de Bola, do UOL.

O comentarista ainda destacou que antes das chegadas dos treinadores estrangeiros o futebol era mal jogado. Mauro Cezar afirmou não se trata apenas das apresentações da Seleção Brasileira.

– O futebol brasileiro praticado até 2019, nos últimos anos, era o futebol mal jogado e a seleção só representou isso. Acho que vai muito além do jogo e da seleção, é a nossa ideia aqui de futebol, tolerada por grande parte da imprensa e por grande parte da torcida, é aquela coisa absurda, quantas vezes se repetiu essa asneira: melhor jogar feio e ganhar. É demais, vou jogar feio e vou ganhar, vou fazer um trabalho ruim e aí eu fico perto do resultado. Em nenhuma atividade profissional existe isso, você trabalha mal e aí você consegue, não, você trabalha bem e você fica mais próximo de um bom resultado. E no futebol aqui no Brasil isso se inverteu para justificar, não é nem a mediocridade, que é menos do que isso.

Publicado em colunadofla.com.