Muriqui é favorito para enfrentar o Flamengo no sábado

Muriqui é favorito para enfrentar o Flamengo no sábado

A suspensão de um e a lesão de outro devem abrir caminho para que Muriqui seja a grande novidade do Vasco contra o Flamengo, no sábado, na semifinal da Taça Rio. Ele é favorito para comandar o ataque do técnico Milton Mendes, já que Luis Fabiano e Thalles são fortes candidatos a desfalque no clássico.

Luis Fabiano terá de cumprir o segundo jogo do gancho de quatro que recebeu por causa da confusão com o árbitro Luís Antônio Silva dos Santos, no último jogo contra o Flamengo. Nesta quarta-feira, o jurídico vascaíno entrou com recurso e pedido de efeito suspensivo para diminuir a pena. O recurso só será analisado pelo Tribunal de Justiça Desportiva após o jogo.

- Luis Fabiano precisa cumprir metade da pena antes de o recurso ser deferido ou não. Fará falta - disse Eurico Brandão, vice-presidente de futebol, à Rádio Tupi.

Em contra partida, seu reserva imediato tem poucas chances de atuar no Maracanã. Thalles ainda se recupera de torção no tornozelo direito. Nesta quarta-feira, iniciou trabalho de transição no campo mas, pela regra que Mendes tem aplicado na Colina, apenas jogadores que conseguem ter sequência de treinos com o restante do elenco ficam à disposição para atuar.

Assim, a tendência é que Muriqui jogue. Dos contratados para a temporada, Muriqui é um dos que têm menos empolgado a torcida. O atacante tem oito partidas em 2017, apenas uma como titular, e nenhum gol marcado. Outra opção, menos provável, é a escalação de Kelvin na frente e o retorno de Andrezinho ao meio.

Já Luan se despediu nesta quarta-feira do Vasco. Ao lado de Brandão, ele se emocionou mas segurou as lágrimas. Após 11 anos no clube, ele foi negociado com o Palmeiras e já viajou a São Paulo.

- O último dia é sempre difícil, mas sei que volto. Ainda vou perturbar muito a vida deles aqui - afirmou o zagueiro, que chegou ao clube ainda criança, vindo do Espírito Santo.

Profissional desde 2012, disputou 172 partidas, com 81 vitórias, 51 empates e 40 derrotas. Foi bicampeão estadual, duas vezes rebaixado para a Série B e chegou à seleção olímpica e principal pelo Vasco.

- Meu pai pediu para eu agradecer publicamente porque dormi, comi e estudei no clube. O Vasco não me tirou de casa, me acolheu.


Seja o primeiro a comentar