Narrador critica torcida por pedir Rueda: “Ele desrespeitou o Flamengo”

Narrador critica torcida por pedir Rueda: “Ele desrespeitou o Flamengo”

O Flamengo perdeu por 1 a 0 para o Fluminense, na última quinta-feira (14), e foi eliminado da Taça Guanabara. O resultado negativo, além do desempenho do time em campo, fez com que uma forte pressão fosse feita sobre os dirigentes e também em cima de Abel Braga. Com isso, parte da torcida pede que “Abelão” seja demitido, e Reinaldo Rueda, que passou pelo Rubro-Negro em 2017, seja contratado, algo que desagrada o narrador e comentarista Rômulo Mendonça.

No programa Bate-Bola Debate, da ESPN, um torcedor participou através de rede social e pediu o retorno de Rueda ao Flamengo. Rômulo, que estava fazendo parte da bancada de comentaristas, refutou a ideia de imediato. Para ele, o treinador colombiano não respeitou o Rubro-Negro carioca pela maneira como optou por sair do clube. Além disso, o narrador criticou parte da torcida que pede o técnico de volta.

Falta amor próprio para quem é flamenguista e apoia o Rueda. O Rueda desrespeitou o Flamengo. A diretoria foi omissa, foi bem juvenil, e o Rueda foi covarde e não respeitou o Flamengo. Você é flamenguista e quer a volta de Rueda? Você não tem amor próprio, neném -, disse o jornalista.

Uma das justificativas a favor de Rueda, na visão de quem o pede de volta, é pelo fato de ter dado oportunidade a Lucas Paquetá, que já fazia parte do elenco desde o início de 2016 e tivera poucas chances de atuar até a chegada do treinador. Para Rômulo, no entanto, o meio-campista entraria no time de qualquer maneira, pois estava evoluindo tecnicamente: “Sempre que eu falo isso: ‘A, não, ele deu espaço para o Paquetá’, mas o Paquetá, pelo avanço dele, era natural que tivesse oportunidade“, finalizou.

Atual treinador da seleção chilena, Reinaldo Rueda estreou no comando do Flamengo em 16 de agosto de 2017, no primeiro duelo com o Botafogo pela semifinal da Copa do Brasil. No total, dirigiu o Rubro-Negro em 31 partidas, com 13 vitórias, 10 empates e oito derrotas (52,6% de aproveitamento). O técnico foi vice-campeão da Copa do Brasil e da Copa Sul-Americana daquele ano. Ao todo, ficou apenas quatro meses no clube.