RIO - A Prefeitura do Rio liberou nesta sexta-feira a presença de público no Maracanã para o próximo jogo do Flamengo pela Libertadores. Com a decisão, a partida contra o Olímpia (PAR), válida pelas quartas de final da competição no dia 18 de agosto, poderá ter até 10% da capacidade do estádio.

Para ingressar no Maracanã, os torcedores deverão comprovar que completaram o esquema vacinal contra Covid-19 pelo menos 15 dias antes da partida ou apresentar resultado negativo de teste para o coronavírus. O exame precisa ser feito em até 48 horas do início do jogo por um laboratório autorizado pelo clube organizador.

Além disso, a prefeitura estabeleceu que o uso de máscara será obrigatório no estádio, bem como deverá ser assegurado o distanciamento social de dois metros entre cada torcedor ou família.

A medida atende parcialmente a um pedido do Flamengo, que havia solicitado o uso do Maracanã com 30% da capacidade no jogo contra o Olímpia. A decisão da prefeitura se baseia na experiência de público na final da Copa América. Na ocasião, no entanto, torcedores argentinos entraram no estádio com testes PCR falsos, conforme revelou o GLOBO.

Na tarde desta quinta-feira, o prefeito Eduardo Paes já havia sinalizado que vai permitir a presença de público a partir de 2 de setembro. Num primeiro momento, a ocupação autorizada seria de 50%.

Em outubro está prevista uma segunda fase de flexibilização na cidade, marcada para o dia 17. Nessa etapa, será permitida a ocupação de 100% dos estádios, ainda mantendo a obrigação dos torcedores estarem com o sistema vacinal completo. O uso de máscaras também continuaria compulsório.

Já a partir do 15 de novembro, dia previsto para o início da terceira fase de flexibilização, o uso da máscara deixará de ser obrigatório. A checagem da vacinação será feita por fiscais da vigilância sanitária através do aplicativo ConecSus do Ministério da Saúde.

Na última quarta, Paes foi ao Twitter apresentar o pedido formal do Flamengo para que o clube consiga receber torcedores nos jogos realizados no Rio. Antes, o prefeito discutiu com o vice-presidente de futebol do Flamengo, Marcos Braz, que também é vereador do município pelo PL, após sofrer cobranças do dirigente neste sentido.

O clube carioca é um dos que mais pressiona pelo retorno da torcida às arquibancada no Brasil. A Conmebol já autorizou a realização de jogos de suas competições com os estádios operando com capacidade parcial. A CBF encaminha discussão a respeito do assunto com os clubes e pode definir um protocolo para ser implementado no próximo mês.